header top bar

section content

Senador confirma conclusão de projetos para início da duplicação da BR 230 entre Campina Grande e Cajazeiras. VÍDEO!

Lira anunciou que, recentemente, obteve a confirmação do Ministério dos Transportes sobre a conclusão dos projetos.

Por

04/11/2015 às 09h28

Raimundo Lira, Senador da Paraíba. Confira!

O Senador Raimundo Lira (PMDB) afirmou neste final de semana, em entrevista concedida à imprensa paraibana, que a duplicação da BR 230, no trecho entre as cidades de Campina Grande e Cajazeiras, é uma realidade “cada vez mais próxima”. Lira anunciou que, recentemente, obteve a confirmação do Ministério dos Transportes sobre a conclusão dos projetos de viabilidade econômica e de impacto ambiental do primeiro trecho, de 33 km, que compreende Campina Grande e a comunidade Farinha.
 
Foi durante recente audiência que o senador manteve no Ministério dos Transportes, junto com o relator geral do orçamento, deputado Ricardo Barros (PP-PR), para tratar do assunto e, na oportunidade, recebeu a confirmação da conclusão dos dois projetos, o que significa a viabilização do início da obra.
 
Ele afirmou que a duplicação da BR 230 entre Campina Grande e Cajazeiras é um grande sonho dos paraibanos que, como ele, sonham alto e acreditam na sua execução. “Eu costumo dizer que uma obra grande só termina se ela começar. Então nós temos que sonhar grande”, afirmou o senador paraibano.
 
Raimundo Lira lembrou da época em que exerceu o seu primeiro mandato de senador, quando começou a trabalhar a duplicação da BR 230, no trecho entre Cabedelo e João Pessoa. “Quando, na década de 90, eu fiquei defendendo a duplicação da estrada de Cabedelo a João Pessoa, todo aquele acesso de João Pessoa, as pessoas diziam que eu estava sonhando, que isso não iria acontecer porque duplicação era coisa para São Paulo, para Rio de Janeiro, para o Rio Grande do Sul”.
 
Ele recordou que, na época, conseguiu viabilizar recursos para a obra, que depois teve sequência com o trecho João Pessoa – Campina Grande. “E o que foi que aconteceu? Foi feita aquela duplicação. Depois, no governo Maranhão, eu não era mais senador, mas Maranhão tocou aquela obra, também, que foi muito criticada inicialmente, a duplicação João Pessoa Campina Grande, que é uma obra que ficou muito bem feita”.
 
Lira afirmou que, hoje, ao transitar pela BR 230, sobretudo no trecho Campina Grande – sertão do estado, a necessidade de duplicação fica a cada dia mais evidente. “Hoje você transitando por essa estrada, principalmente na primeira parte, no trecho Campina Grande a Patos, você tem a certeza de que há a necessidade de ela ser duplicada”.
 
Segundo Lira, pela qualidade do pavimento das estradas federais que cortam a Paraíba, os transportadores preferem rodar por aqui, gerando grande fluxo de veículos – o que reforça a necessidade da duplicação. “Como as estreadas federais da Paraíba, desde o tempo em que eu recuperei essas estreadas todas, na década de 90, elas ficaram conhecidas nacionalmente pelos caminhoneiros e pelos transportadores como as melhores estreadas federais do Nordeste do Brasil, há uma preferência pela circulação desses caminhões e carretas pela BR 230”.
 
Lira destaca que, além o transito de veículos do próprio estado, a BR 230 recebe um grande fluxo de veículos de estados vizinhos. “Além dos nossos caminhões, dos nossos ônibus, dos nossos automóveis, também existe uma preferência dos transportadores de um modo em geral. Aí a estrada ficou sobrecarregada, apesar de uma boa manutenção, de um bom asfalto, mas ficou uma estrada de grande risco devido ao excesso de trânsito que hoje ela tem”.
 
Confira a a entrevista do senador Raimundo Lira!

Assessoria de Imprensa 

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’