header top bar

section content

Procurador do Ministério Público Federal é preso por crime sexual

Defesa alega "problemas psiquiátricos"

Por Priscila Belmont

05/10/2016 às 10h30 • atualizado em 05/10/2016 às 09h04

Pedro Antonio Roso está na carceragem da PF Foto: Reprodução / Reprodução

Um procurador do Ministério Público Federal de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi preso pela Polícia Federal há aproximadamente um mês.

Pedro Antonio Roso está detido na carceragem da PF na Capital por suspeita de ter cometido crime sexual. De acordo com o ZH Polícia, a vítima fez um registro de estupro contra ele na Delegacia da Mulher de Porto Alegre.

O caso está sendo investigado pelo MPF e tramita em segredo de Justiça no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. A investigação foi instaurada pelo MPF a partir da ocorrência policial feita na Delegacia da Mulher. Como procurador da República tem foro privilegiado, ele não pode ser investigado pela Polícia Civil. Por isso, o caso está sendo analisado pelos desembargadores do TRF.

Em função do sigilo, a polícia, o MPF e o TRF não esclareceram as circunstâncias do crime nem o dia em que os fatos ocorreram. O procurador já respondeu a outro processo no TRF por crime de trânsito, desacato e lesão corporal. Ele também não prestou socorro às vítimas. Segundo o processo, o caso ocorreu em fevereiro de 2004.

O advogado do procurador, João Jaccottet, defende que Roso teve um surto psicótico e que tem problemas psiquiátricos.

Noticias ao Minuto

FUTEBOL PARAIBANO SOB INVESTIGAÇÃO

Diário Esportivo comenta os desdobramentos da operação que investiga possível manipulação no Paraibano

INTERVIEW

VÍDEO: Médico cajazeirense referência na PB critica colegas que só querem ‘enricar’ com medicina

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Mensagem de Esperança com Nelson Dantas e Maria Vitória

NO CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Vereador diz que conseguiu verba e ambulância para hospital de São João do Rio do Peixe