Policial
18/10/2016 às 22h56 • atualizado em 18/10/2016 às 22h58

postado por: Jocivan Pinheiro

Radialista de Cajazeiras é salvo de ‘novo golpe’ na região após acionar Polícia Militar; Suposto funcionário de empresa fez vítima ir a o banco

Ele procurou a TV Diário do Sertão a fim de alertar as outras pessoas para que sejam atentas e não caiam nesse tipo de golpe.

O radialista Jamilson Venceslau, mais conhecido como Salgadinho, foi vítima de duas tentativas de golpe em Cajazeiras, uma no domingo (16) e outra na segunda-feira (17), quando tentaram convencê-lo por telefone de que ele havia sido premiado pela empresa de telefonia móvel Claro com a quantia de R$ 10 mil e mais um smartphone. Segundo o radialista, a intenção era fazê-lo transferir dinheiro para a conta dos golpistas.

Salgadinho relata que no domingo recebeu uma ligação de um homem se identificando como Felipe de Almeida, suposto funcionário da Claro, anunciando que o radialista havia sido premiado e precisava ir a uma agência bancária realizar uma transação no caixa eletrônico para receber a quantia. A origem de ligação é do Rio Grande do Norte e o número do telefone é (84) 99181 4328.

Apesar de o suspeito ter repassado supostas informações que comprovariam que ele é funcionário da Claro, como números de crachá, matrícula e senha, Salgadinho desconfiou que poderia se tratar de um golpe e chamou a polícia para acompanhá-lo até uma agência bancária.

Lá, o radialista manteve contato com o suspeito fingindo que estava acreditando na premiação e seguiu suas orientações até perceber que na verdade o golpista tentava fazê-lo transferir cerca de R$ 500,00 para outra conta.

Além de se identificar como Felipe de Almeida, o suspeito diz que seu suposto crachá de funcionário da Claro é nº 38, que sua matrícula é 121157, que a senha da premiação é 149983 e que as lojas Magazine Luíza, Casas Bahia e Insinuante são patrocinadoras do sorteio.

Salgadinho procurou a TV Diário do Sertão a fim de alertar as outras pessoas para que sejam atentas e não caiam nesse tipo de golpe.

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe seu comentário