header top bar

section content

Servidor do Senado é suspeito de matar homem após briga em bar

De acordo com a Polícia Civil, Argos Madeira da Costa teria atirado em ex-companheiro de uma amiga. Ele está foragido

Por Luzia de Sousa

30/01/2017 às 10h22

Foto: Portal Metrópole

a discussão entre um casal recém-separado acabou em morte na madrugada desta segunda-feira (30/1), num bar na 312 Norte. Segundo informações da Polícia Civil, o empresário Eduardo Montezuma Alves de Lima, 42 anos, foi baleado no peito servidor do Senado Argos Madeira da Costa Matos, 57 anos. Ele foi socorrido ao hospital, mas não resistiu. O autor dos disparos estaria acompanhando a ex-mulher da vítima, Débora Rodrigues Martins.

A Polícia Civil investiga as circunstâncias do crime e se foi legítima defesa. De acordo com a ocorrência, Débora e Eduardo mantinham um relacionamento de 12 anos, mas estavam separados desde dezembro do ano passado. Por volta das 23h, o homem chegou ao bar em que estavam a ex-mulher, Argos e mais um grupo de pessoas.

MICHAEL MELO/METRÓPOLES
Michael Melo/Metrópoles
O grupo estava reunido no bar Chiquinhos antes da confusão

As testemunhas contaram que Eduardo chegou tomando satisfações da ex-companheira, que não teria atendido as ligações dele.

Neste momento, Argos não estava na mesa, pois havia ido ao banheiro. Em seu depoimento, Débora contou que tinha conhecido o homem há uma semana, durante uma viagem a Rio Branco (AC). Quando retornou, Argos foi interpelado por Eduardo, que seria uma “pessoa muito ciumenta”, conforme revelou a mulher.

Nesse momento, Eduardo teria empurrado Argos e teve início uma confusão. Separados, os dois saíram e continuaram a discussão do lado de fora do bar, em via pública. Em seguida, as testemunhas contaram que ouviram um disparo e viram Eduardo caindo, com a mão no peito, ensanguentado.

Argos fugiu do local. Populares colocaram Eduardo ainda vivo no carro e o levaram para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Porém, ele não resistiu e morreu. Uma equipe da Polícia Civil foi ao local do crime e encontrou vestígios de sangue e uma cápsula de calibre .380.

O Metrópoles conversou com amigas da Débora. Elas contaram que o relacionamento da mulher com Eduardo era marcado por idas e vindas. “Eles tinham dado um tempo. Mas sempre voltavam. Todo mundo ficou chocado porque ninguém sabia que poderia chegar a esse ponto. A Débora não dormiu, está abalada. Passou a noite na casa da mãe”, disse uma delas, que pediu para não ser identificada.

A expectativa é que o servidor se apresente ainda nesta segunda. O caso está sendo investigado pela 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte).

Metrópole

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!

XEQUE-MATE

VÍDEO: Vereador de Cajazeiras e educadores esclarecem polêmicas sobre a identidade de gênero nas escolas

DIÁRIO ESPORTIVO

Tudo sobre as novas contratações e a preparação dos times para o Campeonato Paraibano 2018