header top bar

section content

Transexual é sequestrada e brutalmente assassinada a pedrada

“A Emanuelle era muito feminina, tinha seios", disse o delegado responsável.

Por Luzia de Sousa

02/03/2017 às 06h27 • atualizado em 01/03/2017 às 16h32

A vítima saía de uma boate na companhia da mãe

Após ser sequestrada e morta por homens que conheceu numa boate, em Anápolis, a 55 km de Goiânia, a transexual Emanuelle Muniz Gomes, de 21 anos, estava acompanhada de sua mãe momentos antes do crime, que aconteceu na madrugada do domingo (26). Edna Girlene Gomes conseguiu escapar do carro dos sequestradores. Sua filha foi encontrada horas depois com uma pedrada na cabeça.

O delegado responsável pelo caso, Cleiton Lobo, afirmou, nessa terça-feira (28), que nenhuma hipótese para o crime está descartada, inclusive se ele foi motivado por ódio de gênero. “A Emanuelle era muito feminina, tinha seios, então era difícil desconfiar da transexualidade dela. Por isso, ainda apuramos se o sequestrador não sabia disso e, ao descobrir, cometeu o assassinato”, disse.

Ele ainda ressaltou que a motivação do crime é desconhecida. A partir desta quarta-feira (1º), acrescentou, vai começar a oitiva das testemunhas que presenciaram o momento em que a jovem foi levada. “Vamos trabalhar para descobrir o que aconteceu e a motivação desse crime o mais rápido possível”, afirmou Lobo.

Notícia ao Minuto

XEQUE-MATE

VÍDEO: Vereador de Cajazeiras e educadores esclarecem polêmicas sobre a identidade de gênero nas escolas

DIÁRIO ESPORTIVO

Tudo sobre as novas contratações e a preparação dos times para o Campeonato Paraibano 2018

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Psicólogos debatem comportamento do ‘stalker’ nas redes sociais e quando o amor se torna obsessão

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Batista Independente