header top bar

section content

Mulher achada em canavial foi morta a marteladas por ex que não aceitava fim do relacionamento

o acusado confessou o crime e afirmou que não aceitava o fim do relacionamento.

Por Priscila Belmont

21/06/2017 às 08h38

Djalmira da Silva Nascimento (Vitima)

Acusado de matar, amarrar os pés e mãos, desfigurar o rosto e jogar o corpo de Djalmira da Silva Nascimento em um canavial, o acusado confessou o crime e afirmou que não aceitava o fim do relacionamento.

De acordo com o delegado de Homicídios, Carlos Othon, explicou que o acusado estava mantendo um relacionamento amoroso com Djalmira e teria a matado em um momento de fúria por ela não atender aos telefonemas dele.

“O casal vinha mantendo um caso conturbado. No sábado, ele ligou diversas vezes depois de ter saído de um clube em Mandacaru e Djalmira não atendeu. Ele encontrou com ela e teria cometido o crime. A perita disse que tinha marcas no rosto provocadas por martelo”, explicou o delegado.

Os agentes do Núcleo de Homicídios ainda apreenderam o automóvel utilizado na desova do cadáver. Durante a perícia realizada ainda na noite dessa segunda (19) foi constatado pelos peritos, através do uso do reagente luminol, que o referido automóvel apresentava vestígios ao que tudo indica de sangue, notadamente no porta-malas, onde o corpo possa ter sido transportado.

O preso foi apresentado nesta terça-feira (20) a audiência de custódia.

Paraíba.com.br

PRECONCEITO

EM CAJAZEIRAS: Gari revela que as pessoas negam água e restaurantes proíbem entrada para comprar marmita

ABANDONADO

VÍDEO: Após saber da morte da mãe, homem passa fome nas ruas de Cajazeiras e faz apelo emocionante para voltar pra casa

PSICOLOGIA NO AR

PERIGO: Médico neurologista faz importante alerta para quem usa remédios tarja preta para dormir

OPINIÃO CONTUNDENTE

EM DECADÊNCIA?: Ex-radialista compara as rádios de Cajazeiras a ‘relacionamento que perdeu o sabor’