header top bar

section content

Jeová Campos presta coletiva e não comparece a reunião da base mais nega insatisfação

O deputado afirma que está mais do que satisfeito, o governador tem seguido nossas orientações e não há motivos para descontentamento

Por

12/03/2009 às 11h53

O deputado Jeová Campos (PT) não irá comparecer nesta quinta-feira(12), a reunião da bancada com o governador José Maranhão (PMDB). O deputado petista esteve participando de um júri no dia ontem e hoje prestará entrevista coletiva a imprensa sertaneja. “Tive que vir a Cajazeiras”, Vou permanecer na cidade até domingo”, explicou o deputado.

Questionado se ele estaria insatisfeito com uma possível falta de nomeações de nomes ligados ao seu grupo para o Governo do Estado, Jeová negou. “Estou mais do que satisfeito, o governador tem seguido nossas orientações e não há motivos para descontentamento”, garante.

A região de Cajazeiras engloba quinze municípios, onde cerca de seis apóiam Maranhão. “Nas últimas eleições ganhamos em Bonito, São José de Piranhas, Santarém, Poço Dantas, Cachoeira dos Índios e Cajazeiras, ao todo são seis municípios que já apoiavam antes de Maranhão assumir e continuam apoiando. Mas há uma tendência que outros municípios possam vir a aderir”, adianta.

O deputado informou que tem havido um “processo de diálogo entre governo e as prefeituras oposicionistas”. Especula-se que três prefeitos sertanejos da base cassista, já estariam se aproximando do novo governo. O parlamentar não revelou quais seriam esses prefeitos que estariam dispostos a mudar de lado e deixar a base do ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB).

JOSELITO FEITOSA
Da Redação do Diário do Sertão

Tags:
VÍDEO!

Diário esportivo fala sobre os craques da Copa do Mundo e o futebol amador da cidade de Cajazeiras

EMPODERAMENTO

VÍDEO: Equipe Bike Girls de Cajazeiras promove neste final de semana pedal dedicado às mulheres

OUTRO LADO

Secretário de saúde diz que verbas federais serão mantidas e que o SAMU de Cajazeiras não vai fechar

PRECONCEITO

EM CAJAZEIRAS: Gari revela que as pessoas negam água e restaurantes proíbem entrada para comprar marmita