header top bar

section content

Tumulto, gritaria e confusão na Câmara de cidade da região de Cajazeiras terminam na delegacia. Veja vídeo!

Populares que estavam no auditório se exaltaram quando o presidente da casa baixou decreto suspendendo a "tribuna livre"

Por Jocivan Pinheiro

07/04/2016 às 18h57 • atualizado em 08/04/2016 às 12h23

A sessão ordinária desta quarta-feira (6) da Câmara de Vereadores de Cachoeira dos Índios, no Alto Sertão paraibano, terminou em confusão e quase virou caso de polícia.

Presidente da Câmara de Cachoeira dos Índios, Aurino Rodrigues, nos estúdios da TV Diário do Sertão

Presidente da Câmara de Cachoeira dos Índios, Aurino Rodrigues, nos estúdios da TV Diário do Sertão

Populares que estavam no auditório se exaltaram quando o presidente da casa, vereador Aurino Rodrigues, conhecido como Zuzu (PTB), decidiu baixar um decreto legislativo suspendendo temporariamente as sessões com “tribuna livre”, ou seja, aquelas em que a população tem direito a usar a palavra na tribuna (a “tribuna livre” na Câmara de Cachoeira acontece na última sessão de cada mês).

A suspensão foi em resposta a um fato que ocorreu no último dia 30, quando um homem bêbado foi fotografado na tribuna após o cancelamento da sessão (justificado pela falta de vereadores), e as fotos foram espalhadas pelas redes sociais. O caso foi até registrado pelo presidente da Câmara na delegacia através de um Boletim de Ocorrência.

Após o término antecipado da sessão desta quarta, o Poder Legislativo emitiu uma nota de repúdio, assinada por todos os vereadores, atribuindo a culpa dos dois casos ao vice-prefeito de Cachoeira dos Índios, Alan Seixas (PSB).

Alan Seixas, vice-prefeito de Cachoeira dos Índios

Alan Seixas, vice-prefeito de Cachoeira dos Índios

Segundo a nota, Alan teria orquestrado tanto as fotografias do bêbado na tribuna, quanto o protesto do público contra o decreto que suspendeu a “tribuna livre”.

Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostra Alan e os populares discutindo com os parlamentares no final da sessão (assista ao vídeo e leia a nota abaixo).

Foi então que, alegando não haver mais condições de diálogo devido aos ânimos acirrados do público e do vice-prefeito, o presidente suspendeu a sessão antecipadamente.

Em conversa com a TV Diário do Sertão, Aurino Rodrigues diz que ficou surpreso com a atitude dos populares e chegou a temer que a discussão fosse às vias de fato.

– Eu até fiquei surpreso. Nunca pensei que em Cachoeira dos Índios tivesse uma atitude daquelas. Então achei melhor, para que os ânimos não se exaltassem até agressões, encerrar a sessão – justifica o parlamentar.

Ele ressalta que quer a paz através do diálogo. Porém, temendo atitudes mais truculentas nas próximas reuniões, vai deixar a polícia em alerta e já providenciou a instalação de um circuito de câmeras na casa legislativa.

– A gente teme. Ninguém sabe o que passa na cabeça de ninguém. Vou ter que comunicar à polícia para que amanhã não seja tarde. Se acontece uma coisa trágica, o que será da gente? Para evitar, é melhor tomar as medidas cabíveis. Mas eu sou um cara pacato e estou disposto a qualquer cidadão para entrar num entendimento. Não faz bem ao Poder Legislativo e ao setor de oposição entrar em conflito. O melhor para Cachoeira é sentar e dialogar.

Nossa reportagem tentou entrar em contato com o vice-prefeito Alan Seixas por telefone, mas até as 14:57h desta quinta-feira (7) (horário de publicação desta matéria) as ligações caíam em caixa de mensagem.

NOTA DE REPÚDIO DA CÂMARA

Nota de repúdio

VÍDEO DA CONFUSÃO NA CÂMARA

.

DIÁRIO DO SERTÃO

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar