header top bar

section content

Carlos volta a acusar José Aldemir de formar “organização criminosa” dentro da ALPB

Segundo o ex-prefeito, o deputado estaria forjando gastos da ALPB com notas fiscais frias, mas a verba não é destinada aos serviços especificados

Por Jocivan Pinheiro

04/07/2016 às 16h02 • atualizado em 05/07/2016 às 23h32

O ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antônio Araújo (DEM), participou do programa Olho Vivo, da TV Diário do Sertão, nesta segunda-feira (04), e voltou a acusar o deputado estadual José Aldemir Meireles (PP) de liderar um esquema de desvio de verba da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Segundo o ex-prefeito, José Aldemir “formou uma organização criminosa dentro do seu gabinete na ALPB.”

De acordo com a denúncia de Carlos Antônio, o deputado estaria forjando gastos da VIAP (Verba Indenizatória de Apoio Parlamentar) usando notas fiscais frias, mas o dinheiro não estaria sendo destinado aos serviços especificados nas notas e nos relatórios financeiros do seu gabinete.

VEJA TAMBÉM

» Carlos convida Aldemir a ir ao MP, e deputado dispara: “Tenho medo de ser preso”

Entre os supostos gastos estariam: pagamento para um ex-motorista – que é economista – realizar pesquisas sócio-econômicas para o gabinete do deputado; assessoria de contabilidade por parte de um primo do paramentar; pagamento para advogado e pagamento de aluguel mensal de um imóvel onde funcionaria um escritório de José Aldemir.

No entanto, segundo Carlos Antônio, não há nenhum documento provando que as pesquisas sócio-econômicas foram realizadas; o primo do deputado teria afirmado que não prestou serviço de contabilidade para ele; o advogado também negou ter trabalhado para o parlamentar; e no imóvel onde seria um escritório de José Aldemir funciona uma imobiliária cujo dono é casado com uma sobrinha da esposa do parlamentar.

“Eu quero que essa minha palavra possa chegar ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Paraíba, ao corregedor da Assembleia Legislativa, ao presidente do Tribunal de Justiça, mas, acima de tudo, ao doutor Bertrand Asfora [procurador-geral de justiça do Ministério Público da Paraíba], porque o deputado José Aldemir espalhou em vários locais aqui na cidade de Cajazeiras que a imunidade parlamentar dele o defende de todas essas acusações”, declarou o ex-prefeito.

As denúncias de Carlos Antônio são um contra-ataque às ações na Justiça que foram impetradas por José Aldemir contra ele, quando o parlamentar se sentiu ofendido durante uma entrevista do ex-prefeito a uma emissora de rádio de Cajazeiras.

“Essas são apenas mais algumas ações contra Carlos Antônio, que já responde a diversas outras sobre, por exemplo, irregularidades com o trato do dinheiro público, quase 100. Uma a mais ou a menos não fará diferença para ele”, afirmou o deputado ao ser procurado pela imprensa.

DIÁRIO DO SERTÃO

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares