Política
28/11/2016 às 20h28 • atualizado em 29/11/2016 às 14h30

postado por: Luzia de Sousa

Prefeita de Cajazeiras ‘confessa’ que não pagará aos servidores após bloqueio e responsabiliza funcionários

Os funcionários ficarão mais uma vez sem receber novembro e dezembro, como ocorreu em 2008 e se repetiu em 2012. OUÇA!

Denise falou sobre o bloqueio das contas (Foto: Imagens do Whatsapp)

A prefeita de Cajazeiras, Denise Albuquerque (PSB), acabou com a polêmica gerada em torno do pagamento salarial dos servidores municipais durante participação da solenidade do voo inaugural do aeroporto da cidade na manhã desta segunda-feira (28).

+ Prefeituras de Cajazeiras, Sousa, Patos, Pombal e Itaporanga receberão juntas quase 10 milhões a mais; Saiba aqui quanto seu município receberá em renda extra. LISTA!

A gestora confirmou o que algumas pessoas havia comentado, caso a Justiça mantenha o bloqueio das contas, os funcionários ficarão mais uma vez sem receber novembro e dezembro, a exemplo do que ocorreu em 2008 na gestão do seu esposo, o ex-prefeito Carlos Antonio (DEM) e se repetiu em 2012, com o também ex-prefeito Carlos Rafael (PMDB), ambos derrotados nas urnas.

+ Procurador de Cajazeiras diz que Prefeitura não vai pagar novembro e dezembro se FPM continuar bloqueado; sindicalista nega que tenha recusado outra proposta; veja o vídeo!

A prefeitura alegou que a decisão da juíza da 4ª Vara, Silse Maria da Nóbrega, em bloquear as contas do município na semana passada não resolverá o problema, pois não dará para pagar os atrasados e a gestão dela não terá como pagar algumas categorias, o que deverá também atrasar os servidores nos dois últimos meses do seu governo.

A gestora ainda disse que faltou compreensão por parte dos servidores que moveram a ação para receber seus salários, o que teria inviabilizado o final da sua gestão, que deverá terminar igualmente aos dois últimos governos terminados devendo ao funcionalismo.

Ela relembrou que vai recorrer da decisão de primeira instância. “Entendemos que no final da gestão necessitaria ter tido essa compreensão das pessoas que moveram essa ação para que a gente pudesse encerrar um mandato com nossos pagamentos em dia, porque provavelmente ficarão dois meses de algumas categorias que recebem pelo FPM em atraso”.

Ouça a participação da prefeita durante entrevista na Difusora AM:

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe seu comentário