header top bar

section content

Ricardo sanciona lei que cria mecanismo de combate à tortura

Na mesma solenidade, o governador assinou ainda o Decreto que aprova o novo regimento interno do Conselho Estadual de Direitos Humanos.

Por Priscila Belmont

13/12/2016 às 10h15

Combate a tortura (foto: Francisco França)

O governador Ricardo Coutinho sancionou, nesta segunda-feira (12), a lei 10.803, que cria o Mecanismo Estadual de Combate à Tortura e será publicada no Diário Oficial desta terça-feira (13). Na mesma solenidade, ocorrida em seu gabinete, no Palácio da Redenção, o governador assinou ainda o Decreto que aprova o novo regimento interno do Conselho Estadual de Direitos Humanos.

De autoria do Poder Executivo, a lei que cria o Mecanismo Estadual de Combate à Tortura foi aprovada pela Assembleia Legislativa após ter sido tramitada como Projeto de Lei 1.129/2016. A Paraíba se torna o terceiro Estado a sancionar a lei, depois do Rio de Janeiro e Pernambuco.

Ricardo Coutinho destaca o que preveem a nova lei e o decreto assinados com o Ministério Público Federal e o Conselho Estadual de Direitos Humanos. “Na verdade, trata-se da estruturação de um sistema que visa ter o controle sobre o combate à prática de tortura nos mais diversos níveis. Nós precisamos ter uma estrutura estatal que, por princípio, não admita a tortura, estamos criando esses instrumentos para que cada vez normas e regras sejam estabelecidas dentro de presídios e ao mesmo tempo o conceito de civilidade possa estar mais presente do que nunca”, pontuou.

O governador disse ainda que a questão da civilidade não pode ter qualquer nível de negociação e o Governo da Paraíba tem buscado avançar, mesmo no meio da conjuntura nacional politicamente adversa. Três técnicos peritos serão selecionados para integrar o Mecanismo Estadual de Combate à Tortura.

A vice-governadora Lígia Feliciano considera que a lei 10.803 será fundamental para contribuir com o processo de humanização no sistema prisional e que o governador Ricardo Coutinho tem proporcionado avanços nesta área ao dialogar com o Ministério Público e com o Conselho Estadual de Direitos Humanos.

O procurador da República e do Ministério Público Federal, José Godoy Bezerra de Sousa, avalia que a Paraíba avança com a nova lei. “É um passo muito importante, o Brasil se comprometeu perante a ONU a criar esses mecanismos e a Paraíba avança para ser o terceiro estado a criar o mecanismo e isto é muito relevante. Precisamos avançar na semana que comemoramos 68 anos da Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão, da ONU”, ressaltou, destacando o decreto do governador que aprova o novo regimento do Conselho Estadual de Direitos Humanos.

A deputada estadual Estela Bezerra, por sua vez, enfatizou que o Governo do Estado recebeu a visita e o monitoramento do Comitê Nacional de Combate à Tortura e também recebeu elogios por sua iniciativa e metodologia de ressocialização do sistema prisional. Ela louvou a sensibilidade do governador Ricardo Coutinho aos princípios democráticos e republicanos. “O que ele tem feito aqui na Paraíba é um avanço muito grande, não se pode desenvolver a sociedade sem inclusão social, sem respeito às diferenças e sem respeito à integridade das pessoas. O Estado não pode ser criminoso, não pode ser autoritário. Ao Estado resta ser justo e produzir oportunidades igualitárias. É dessa maneira que o governador pensa e esse mecanismo, em tempo, atende a essa coerência de ação e de construção da política na Paraíba, com desenvolvimento local e justiça social”, comentou.

A coordenadora do Comitê de Prevenção e Combate à Tortura e Defensora Pública Federal, Diana Andrade, afirmou que a medida do Governo do Estado é de extrema importância porque “a criação de um mecanismo e posterior seleção de peritos e peritas para efetivamente fiscalizarem os estabelecimentos onde acontecem as práticas de torturas, fazerem seus relatórios, demandarem as responsabilidades dos agentes públicos e eventualmente particulares responsáveis pela prática da tortura, será fundamental para a concretização de uma política de segurança pública cidadã e respeitadora dos direitos humanos aqui no Estado”.

O atual presidente do Conselho Estadual dos Direitos Humano, padre João Bosco Francisco do Nascimento, ressaltou a importância que tem a atualização do regimento interno do Conselho. “Nós trabalhamos bastante, houve um esforço com várias reuniões e agora nessa fase de transição, pois o conselho a cada dois anos renova o seu quadro e esse passo é significativo. Vamos estar com o regimento completo, atualizado”, afirmou.

Secom

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe