header top bar

section content

Dilma em Portugal: ‘2018 será o reencontro do Brasil com a democracia’

Em coletiva de imprensa nesta terça (14), Dilma afirmou que não pretende ocupar outro cargo executivo. 'Já estou com 70 anos'

Por Priscila Belmont

14/03/2017 às 16h35

Dilma em Portugal: '2018 será o reencontro do Brasil com a democracia' © FOTO: ALEX

Retirada do poder após a conclusão do processo de impeachment em agosto de 2016, a ex-presidente Dilma Rousseff está em Portugal para participar nesta quarta-feira (15) da conferência ‘Neoliberalismo, Desigualdade, Democracia sob Ataque’, a convite da Fundação Inatel, da Fundação José Saramago, do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e da Casa do Brasil de Lisboa.

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta terça (14), Dilma definiu novamente seu afastamento do cargo como um golpe parlamentar. Para ela, a principal razão para o impeachment foram as quatro vitórias presidenciais consecutivas do Partido dos Trabalhadores (PT), que seguia com um projeto ‘não neoliberal’ em suas decisões políticas.

Dilma também afirmou que o país segue vivendo uma continuidade do golpe. Segundo ela, a Pec 241, que determina o congelamento dos gastos com educação e saúde, configura um ‘golpe social’ no país.

Congelar os gastos em Saúde e Educação é retirar os pobres do orçamento no Brasil, é cometer um crime contra os direitos sociais e econômicos da população sob a aparência de uma política fiscal austera” .

Questionada sobre as eleições de 2018, Dilma afirmou que esta será a data do reencontro do país com a democracia e com base na última pesquisa eleitoral divulgada, em que Luís Inácio Lula da Silva aparece com 38% das intenções de voto, desenhou três cenários possíveis: Lula é candidato e perde; Lula é candidato e vence; ou Lula será impedido de concorrer pela modificação da lei eleitoral ou pela criminalização da política, que, segundo ela, está em curso no Brasil.

Segundo Dilma, mesmo com a possível vitória de Lula em 2018, ela não pretende voltar a ter um cargo executivo no governo “Já estou com 70 anos, isso é pra gente mais nova que eu”. A presidente afirmou que pretende continuar participando de debates e palestras para fortalecer o debate democrático no país “Eu quero falar por uns bons 15 anos. Vou tentar ficar com a voz boa para conseguir”.

Notícia ao Minuto

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview