header top bar

section content

Vídeo de homem protestando contra deputado do Sertão viraliza e ultrapassa 300 mil visualizações

Ele ainda reclamou da atual política nacional onde se obteve reajuste do salário mínimo de pouco maior que R$ 17 reais.

Por Luzia de Sousa

06/02/2018 às 15h19 • atualizado em 06/02/2018 às 15h22

O vídeo de um cidadão que gritava da sacada de um prédio, no centro da cidade de Patos, Sertão da Paraíba, em protesto contra o deputado federal Hugo Motta (MDB) foi compartilhado pelo perfil “Marco Vidal”, no Face book, em 3 de fevereiro, e apenas em três dias alcançou 328.441 visualizações.

VEJA TAMBÉM!

+ Da sacada de prédio, homem protesta contra deputado do Sertão da Paraíba: “Vai enganar o povo de novo

+ VÍDEO: Hugo Motta é vaiado em evento no Sertão da Paraíba

O vídeo foi divulgado nesse final de semana nas redes sociais e aplicativos de mensagens. O popular gritava frases de cunho político contra o deputado, tachando-o de golpista, além de reclamar da atual conjuntura do país.

“E na campanha agora pra 2018, vai enganar o povo da Paraíba de novo. Fora Hugo, Fora PMDB, Fora Temer, Fora golpistas!.

Enquanto a gente assiste calado, o nosso povo vai continuar sofrendo as consequências de um deputado golpista, de uma classe política corrupta, acanalhada. Eu sei o número dele porque a gente já acreditou nesse canalha duas vezes, não dê voto para ele e não devolva o mandato para ele e nem para o pai dele, pense no que eu disse. Golpista Fora!”, desabafou o popular agradecendo a atenção das pessoas que o ouviram.

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Saiba como descobrir sua vocação profissional e ser bem-sucedido da universidade ao trabalho

NO PROGRAMA OLHO VIVO

VÍDEO: Com doença grave, homem faz apelo à 9ª Regional de Saúde em Cajazeiras por medicamento atrasado

QUATRO DIAS DE EVENTOS

VÍDEO: Secretário convida população para o Arte Agosto, que começa hoje em Cajazeiras; veja programação!

DIA 20 DE SETEMBRO

VÍDEO: Professor pede que o povo fique de olho em quem vem só ‘vender o peixe’ no debate de Cajazeiras