header top bar

section content

Ações de combate à seca: Prefeitura de Sousa entrega mais dois poços artesianos

A falta de chuva se assemelha à enfrentada no começo da década de 1980, quando milhões de pessoas também foram afetadas pela seca.

Por

01/10/2015 às 18h05

  

Preocupado e trabalhando para a população, a Prefeitura de Sousa entregou na noite desta quarta-feira, 30 de setembro dois poços artesianos, um no Bairro Frei Damião e outro no Conjunto Dr. Zezé.  Uma ação da Prefeitura de Sousa que entregará cem poços, sessenta e cinco na zona rural e trinta e cinco na zona urbana.

 

A região nordeste enfrenta uma das piores secas dos últimos 30 anos, que afeta o abastecimento de água em diversos estados da região. A falta de chuva se assemelha à enfrentada no começo da década de 1980, quando milhões de pessoas também foram afetadas pela seca.

O Prefeito de Sousa, André Gadelha vem acompanhando a entrega dos poços e afirma que a expectativa é que esses poços abasteçam os moradores que mais sofrem com falta de água nos períodos de estiagens.

“Este é um trabalho que não para, estamos sempre buscando recursos para perfuração de poços ou outras maneiras que façam com que toda a população, tanto da zona urbana como da zona rural recebam estes benefícios. O poder público de Sousa não está de braços cruzados, estamos trabalhando dia e noite para tentar resolver o problema”, disse o prefeito.

Recebe o nome de poço artesiano a espécie de poço perfurado para captar água no subsolo e que não depende do uso de bombas, pois a pressão liberada da própria corrente d’água realiza todo o serviço naturalmente. O poço artesiano tem vazão de água até mil vezes superior que o comum: 2 m³ (2 mil litros) em média. A vida útil fica por volta de 40 anos.

O Secretário de Agricultura, Paulo Sérgio informou que na zona rural já foram perfurados vinte e cinco poços nas localidades do Núcleo Habitacional I, II e III, Paquetá, Boa Vista, Quandú, Exú, Pereiros, Lagoa dos Pires, Olho d’Água, Picada, Curral Velho, Jardins, Tanques, Floresta, Malhada da Pedra, Floresta de Cima, São Paulo, Dois Caminhos, Cadeado, Mãe D´Água, Cadeado dos Cordeiros, Santo Antônio, Vaca Morta e Buriti.

O custo de perfuração de um poço artesiano é alto, trazendo, porém, compensações a longo prazo. A área próxima terá disponível sua própria fonte, podendo se desvincular totalmente ou parcialmente da companhia de fornecimento local. Em locais onde é precário o abastecimento, tornam-se uma verdadeira revolução para a comunidade.

Do Decom

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula