header top bar

section content

‘Leão’ sai da toca, comenta mais uma condenação federal contra Carlos Antonio e ironiza “Não paga”

O ex-deputado disse que todo amor e paixão que o ex-prefeito declara ter por CZ não foram suficientes para investir na cidade, mas sim, no Pernambuco

Por

27/04/2015 às 17h58

Ex-prefeito é condenado pela justiça federal

O ex-deputado e ex-prefeito da cidade de Cajazeiras, Vituriano de Abreu (PSC), mais conhecido como “O Leão”, saiu da toca nesta segunda-feira (27), ao comentar nas redes sociais sobre mais uma condenação do também ex-prefeito Carlos Antonio (DEM). Vituriano de Abreu não falava de política desde as eleições do ano passado quando não foi reeleito deputado da Paraíba.

Sobre a nova condenação improbidade administrativa, suspensão dos direitos políticos por mais cinco anos, devolução de R$ 18.830,18 e multa, o ex-deputado cajazeirense disse que Carlos Antonio está acostumado a fazer a população de besta, rir da Justiça e achar que tudo pode, além de acusar a prefeitura, administrada pela esposa do condenado, Denise Albuquerque (PSB), a pagar os valores impostos para devolução ao erário público.

Vituriano de Abreu ainda revelou que todo amor e paixão que o ex-prefeito declara ter por Cajazeiras não foram suficientes para investir na cidade, gerar emprego e renda, mas estaria investindo no Estado de Pernambuco, onde abrirá uma Faculdade de Medicina.

“Quem te m uma folha corrida, maldita com esta dele, deveria todos os juízes e promotores ter uma cópia em se birô para prepararem o não aos seus recursos de defesas” Postou Vituriano de Abreu

Veja também: 

Nomeação de condenado no TCU abre polêmica sobre a exoneração de Carlos Antonio 

Encontros da oposição forçam Carlos Antonio ter conversa de ‘pé de ouvido’ com deputado

Mais uma 
A condenação a Carlos Antonio foi dada pelo Juiz Federal Substituto na 8ª Vara Federal da Paraíba, Rodrigo Cordeiro de Souza Rodrigues, que aplicou ao ex-gestor cajazeirense a suspensão de seus direitos políticos, por cinco anos, ressarcimento integral do dano ao erário municipal, correspondente ao valor do convênio, no montante de R$ 18.830,18, valores de fevereiro de 2009 e que devem ser corrigidos, além da perda de função pública que estiver ocupando, impondo, também, o pagamento de multa civil em duas vezes o valor da remuneração percebida pelo demandado à época dos fatos, em que exercia o cargo de prefeito mais outra multa correspondente a 10% do valor do convênio celebrado com o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), além de determinar que o réu fique impossibilitado de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos.

A sentença está datada do dia 10 de abril deste ano, mas só agora foi dado conhecimento ao público e trata-se de Ação de Civil Pública, movida Pelo Ministério Federal, pelo fato do ex-prefeito Carlos Antonio ter recebido, em 2008, recursos do FNDE com a finalidade de capacitar professores para educação de alunos com necessidades especiais e, além de não cumprir com o objeto do convênio, não fez a devida prestação de contas.

Veja postagem de Vituriano de Abreu!

DIÁRIO DO SERTÃO

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan