header top bar

section content

Por unanimidade, STF acata recurso e mantém prefeita do Sertão no cargo

Nas eleições do dia 7 de outubro de 2012, Pollyanna foi eleita prefeita de Pombal com 9.859 votos.

Por

22/05/2014 às 16h40

Pollyana Dutra poderá se complicar com prestações de contas

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu por unanimidade, dar provimento ao recurso interposto pela prefeita de Pombal, Pollyanna Dutra (PT), e a manteve no cargo. O relator do processo foi o ministro Teori Zavascki.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) havia negado o registro de candidatura à petista por considerá-la inelegível por entender que ela estava concorremdo a um terceiro mandato, representando um mesmo núcleo familiar, para a Prefeitura.

O entendimento da maioria dos ministros do TSE foi de acordo com o TRE da Paraíba que acatou os pedidos de impugnação apresentados pela Coligação “Unidos Para o Bem de Pombal” e pelo Ministério Público Eleitoral, que contestavam o registro da chefe do executivo por figurar uma terceira candidatura.

Em seu despacho, o relator do STF argumentou que o então marido da gestora faleceu um ano antes do pleito eleitoral em que ela disputou a Prefeitura de Pombal pela primeira vez, afastando a possibilidade dela ter se beneficiado de benesses do governo.

Pollyana foi casada com o ex-prefeito da cidade, Jairo Feitosa, que faleceu ainda durante o mandato. Na eleição seguinte, ela se candidatou e venceu o pleito.

Nas eleições do dia 7 de outubro de 2012, Pollyanna foi eleita prefeita de Pombal com 9.859 votos. A segunda colocada, Mayenne Van (PMDB) obteve 9706 votos.

DIÁRIO DO SERTÃO com o Blog do Gordinho

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula