header top bar

section content

Secretário de Estado diz que deputados têm medo da reeleição de RC e taxa Cássio de individualista: “Sua decisão foi egocêntrica”

O secretário disse que RC sente necessidade de dotar a Paraíba com pontos aéreos, porém, a gestão não tem orçamento.

Por

20/03/2014 às 20h54

Os radialistas Petson Santos, Jarismar Pereira, Jota França e Eutim Rodrigues estrearam nesta quinta-feira (20) o programa “Censura Livre” na TV Diário do Sertão. O programa contou com a participação do secretário de Comunicação do Estado da Paraíba, Luís Torres.

Na ocasião, o secretário foi perguntado sobre o motivo do racha entre o Governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB).  Segundo ele, essa pergunta deve ser feita diretamente ao senador, pois, ele concordou, endossou e participou da gestão RC. “Quem saiu da via foi Cássio, Ricardo continua no mesmo lugar, então, Cássio quem precisa dar essa resposta”, disse.

O secretário taxou ainda a decisão de Cássio de “egocêntrica e individualista”.

Durante a entrevista, Torres criticou a postura de deputados da assembléia que, permitiram a aprovação das contas, segundo ele, irregulares de Maranhão e hoje, lutam pela reprovação de contas de Ricardo. “A população saberá julgar e a justiça saberá barrar”, disse.

Luís Torres disse ainda que, a candidatura a reeleição de Ricardo “incomoda” alguns deputados. “Fazem isso porque temem que Ricardo esteja na disputa”, disse.

O secretário falou sobre a adesão constante de prefeitos ao Governador e disse que, não tem medo de que em 2014, se repita o episódio de 2010 quando os prefeitos ficaram com Maranhão e a população foi com Ricardo.  

Administração – Perguntado sobre o atraso nas obras do aeroporto regional de Cajazeiras, o secretário disse que o governador Ricardo Coutinho (PSB) sente necessidade de dotar a Paraíba com pontos aéreos, porém, a gestão não tem poder orçamentário para isso.

Ainda com relação ao aeroporto de Cajazeiras, Luís respondeu sobre as divergências de opinião de secretários com relação à pista. “É natural, existem más interpretações”, disse. Luís afirmou ainda que, para ele, a palavra final é a do governador.

O secretário de Comunicação aproveitou o espaço para defender o Orçamento Democrático do socialista. “Permite que o povo de fato vá para as praças dar sua opinião”, enfatizou.

Luís Torres falou sobre a polêmica dos gastos do Governo de Ricardo com comunicação e publicidade. Segundo ele, o gasto com comunicação nessa gestão está abaixo do utilizado em governos anteriores como os de Cássio Cunha Lima (PSDB) e José Maranhão (PMDB).

Comunicação – Luís Torres falou sobre a Secretaria de Comunicação e disse que tem sido uma experiência única. “Ao longo de 14 anos no meio jornalístico é a primeira vez que estou do outro lado do balcão”, lembrou.

De acordo com o secretário, a principal dificuldade da Secretaria é conseguir resumir o que o Governo produz e fazer a população ficar sabendo das ações. “São muitas obras e eu preciso fazer as pessoas saberem os direitos e garantias que o Governo oferece”, disse.

Novo formato – O programa com um formato diferente foi iniciado com um debate entre os quatro radialistas onde foram mencionados os temas mais comentados da política atual, entre eles, o rompimento do Governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB).   

Em seguida, “o quarteto” iniciou a sabatina com o secretário Luís Torres que, por sua vez, parabenizou a ousadia da equipe da TV Diário do Sertão e frisou a competência dos condutores do “Censura Livre”.

Veja o programa completo!

DIÁRIO DO SERTÃO

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan