header top bar

section content

Secretário de Estado diz que deputados têm medo da reeleição de RC e taxa Cássio de individualista: “Sua decisão foi egocêntrica”

O secretário disse que RC sente necessidade de dotar a Paraíba com pontos aéreos, porém, a gestão não tem orçamento.

Por

20/03/2014 às 20h54

Os radialistas Petson Santos, Jarismar Pereira, Jota França e Eutim Rodrigues estrearam nesta quinta-feira (20) o programa “Censura Livre” na TV Diário do Sertão. O programa contou com a participação do secretário de Comunicação do Estado da Paraíba, Luís Torres.

Na ocasião, o secretário foi perguntado sobre o motivo do racha entre o Governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB).  Segundo ele, essa pergunta deve ser feita diretamente ao senador, pois, ele concordou, endossou e participou da gestão RC. “Quem saiu da via foi Cássio, Ricardo continua no mesmo lugar, então, Cássio quem precisa dar essa resposta”, disse.

O secretário taxou ainda a decisão de Cássio de “egocêntrica e individualista”.

Durante a entrevista, Torres criticou a postura de deputados da assembléia que, permitiram a aprovação das contas, segundo ele, irregulares de Maranhão e hoje, lutam pela reprovação de contas de Ricardo. “A população saberá julgar e a justiça saberá barrar”, disse.

Luís Torres disse ainda que, a candidatura a reeleição de Ricardo “incomoda” alguns deputados. “Fazem isso porque temem que Ricardo esteja na disputa”, disse.

O secretário falou sobre a adesão constante de prefeitos ao Governador e disse que, não tem medo de que em 2014, se repita o episódio de 2010 quando os prefeitos ficaram com Maranhão e a população foi com Ricardo.  

Administração – Perguntado sobre o atraso nas obras do aeroporto regional de Cajazeiras, o secretário disse que o governador Ricardo Coutinho (PSB) sente necessidade de dotar a Paraíba com pontos aéreos, porém, a gestão não tem poder orçamentário para isso.

Ainda com relação ao aeroporto de Cajazeiras, Luís respondeu sobre as divergências de opinião de secretários com relação à pista. “É natural, existem más interpretações”, disse. Luís afirmou ainda que, para ele, a palavra final é a do governador.

O secretário de Comunicação aproveitou o espaço para defender o Orçamento Democrático do socialista. “Permite que o povo de fato vá para as praças dar sua opinião”, enfatizou.

Luís Torres falou sobre a polêmica dos gastos do Governo de Ricardo com comunicação e publicidade. Segundo ele, o gasto com comunicação nessa gestão está abaixo do utilizado em governos anteriores como os de Cássio Cunha Lima (PSDB) e José Maranhão (PMDB).

Comunicação – Luís Torres falou sobre a Secretaria de Comunicação e disse que tem sido uma experiência única. “Ao longo de 14 anos no meio jornalístico é a primeira vez que estou do outro lado do balcão”, lembrou.

De acordo com o secretário, a principal dificuldade da Secretaria é conseguir resumir o que o Governo produz e fazer a população ficar sabendo das ações. “São muitas obras e eu preciso fazer as pessoas saberem os direitos e garantias que o Governo oferece”, disse.

Novo formato – O programa com um formato diferente foi iniciado com um debate entre os quatro radialistas onde foram mencionados os temas mais comentados da política atual, entre eles, o rompimento do Governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB).   

Em seguida, “o quarteto” iniciou a sabatina com o secretário Luís Torres que, por sua vez, parabenizou a ousadia da equipe da TV Diário do Sertão e frisou a competência dos condutores do “Censura Livre”.

Veja o programa completo!

DIÁRIO DO SERTÃO

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Psicólogos debatem comportamento do ‘stalker’ nas redes sociais e quando o amor se torna obsessão

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Batista Independente

MARIA CALADO NA TV

Com muita irreverência, banda Gata Dengosa estoura a audiência no programa Maria Calado na TV; ASSISTA!

ENTREVISTA

VÍDEO: Artista sousense que impressionou o público com suas pinturas fala sobre sua obra e trajetória