header top bar

section content

Oposição reprova Lei Orçamentária de 2014 e prefeita do Sertão ameaça "fechar as portas"

O orçamento de São Bentinho é de pouco mais de R$ 19 milhões.

Por

09/01/2014 às 19h47

A Câmara dos vereadores do município de São Bentinho, Sertão do Estado rejeitou o Projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) e o Plano Plurianual (PPA) para o exercício de 2014, de autoria da administração municipal.

A prefeita Giovana Olímpio (PSDB) disse que a falta de entendimento entre os parlamentares durante votação deve acarretar prejuízo à população da cidade, pois a rejeição da matéria pode impedir o pagamento salarial dos servidores públicos e paralisar a execução dos serviços essenciais do município.

Quem votou?
Votaram contra os vereadores Jannilson de Sousa Dantas (PR), José Carlos Alves (Nen da Queijeira-PSB), Feliciano Soares da Nobrega (Lisso-PR), Antonio Almeida Pereira (Toinho de Hermes-PSD), tendo o voto de 'minerva' sido dado pelo presidente da Casa, Jose Pedro da Silva Sousa (PP-Zé de Osacar).

O impasse envolvendo a votação da Lei Orçamentária pode causar sérios danos ao município, segundo a prefeita, impedirá o funcionamento dos setores mais importantes para o atendimento à população.

“Com a não aprovação do projeto fica impossível trabalhar nas áreas de saúde, educação, transportes ambulatoriais, entre outros que são de suma importância para o povo. Além do mais, sem esse orçamento não há condições de realizar o pagamento dos funcionários”, ressaltou a chefe do Executivo Municipal.

LOA
O orçamento de São Bentinho é de pouco mais de R$ 19 milhões e de acordo com o procurador geral do município, Jackson da Costa Ribeiro, a assessoria jurídica da prefeitura já está trabalhando para tomar as devidas providências.

“Nós estamos acionando a justiça para que possamos recorrer contra a decisão da Câmara e desta forma impedir que a população de São Bentinho seja penalizada pela decisão dos vereadores”, explicou o procurador.

Opinião
Para a prefeita, a estratégia dos parlamentares é travar o orçamento deste ano e, com a suspensão dos serviços, acusarem a administração de negligência com pendências. "o orçamento é uma peça estimativa e eles tinham todo direito de discutir e fazer ajustes no documento, mas de maneira alguma rejeitar", destacou Giovana Olimpio.

Para os representantes da prefeitura municipal a rejeição da LOA foi “um ato de politicagem”, já que os parlamentares rejeitaram suas próprias emendas. “Não pensam na cidade e querem usá-la para nos prejudicar”, disse a prefeita.

DIÁRIO DO SERTÃO com Assessoria

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Psicologia no Ar recebe professor doutor de Cajazeiras pra falar sobre Psicologia Social

INTERVIEW

VÍDEO: Autor do filme “Memória Bendita” fala sobre os desafios de promover cultura na região de Sousa

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!