header top bar

section content

Briga por posse de imóvel onde funcionava Secretaria de Cajazeiras vai parar na justiça. Entenda o caso!

A Procuradoria Geral do município de Cajazeiras emitiu uma nota a imprensa no intuito de explicar o caso do imóvel da secretaria de educação de CZ.

Por

24/02/2013 às 13h59

A Procuradoria Geral do município de Cajazeiras emitiu neste sábado (23) uma nota explicando a situação do imóvel onde funciona a Secretaria de Educação de Cajazeiras, situada na Rua Barão do Rio Branco, número 601, centro. De acordo com a nota, a Secretaria está a mais de treze anos no local através de contrato com Maria Lúcia de Albuquerque.

Entretanto, de acordo com a nota, o senhor Fábio Dantas, que litiga a propriedade do prédio na justiça com Maria Lúcia, começou um intenso processo de desestabilização para que a Secretaria deixe o prédio. Segundo a nota, o homem iniciou reforma no prédio e levou compradores para avaliar o local, tudo na tentativa de fazer com que a Secretaria de Educação se retire do edifício.

 

Por outro lado, Fábio Dantas acredita que a chave do prédio deve lhe ser entregue e que a Secretaria de Educação está dificultando o processo.

 

Em resumo, a nota da Procuradoria Geral diz que entregou as chaves do prédio à justiça no intuito de evitar novas invasões de Fábio Dantas, que chegou ao ponto de mandar a Energisa cortar a luz do local. De acordo com o esclarecimento enviado pelo município, ao Poder Judiciário caberá a missão de entregar as chaves do imóvel a quem realmente lhe for de direito. 

 

Veja a nota na íntegra:

 

 

 

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:
VÍDEO

Coordenador da Energisa garante melhoria e dá dicas sobre ‘queda’ de raios durante o período de inverno

ENTREVISTA

No Xeque-Mate, corretor avalia que Cajazeiras é melhor do que Sousa para investir no mercado imobiliário

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os membros da Associação dos ciclistas de Cajazeiras e região; Confira!

ADVERSÁRIOS ETERNOS

Breckenfeld diz que nunca será candidato a prefeito de São João nem aliado de Zé Aldemir: “Chance zero”