header top bar

section content

Padre de Cajazeiras concorda com a recusa do Papa ao convite de Temer e dispara: “Resposta de estadista para oportunista” – Vídeo!

Papa Francisco foi convidado por Michel Temer para visitar o país, mas disse que não virá e ainda cobrou do presidente mais atenção à população carente

Por Jocivan Pinheiro

25/04/2017 às 16h26 • atualizado em 25/04/2017 às 16h29

No seu Direto ao Ponto da semana, padre Francivaldo destacou a recusa do Papa Francisco ao convite do presidente Michel Temer (PMDB) para visitar o Brasil. Francivaldo concorda com a atitude do líder maior da Igreja Católica e diz que a intenção de Temer com a visita do Papa era “baixar a poeira” da insatisfação do povo com seu governo. Francivaldo classificou a recusa de “resposta de um estadista para um oportunista”.

O Papa Francisco foi convidado pelo governo de Michel Temer, no final do ano passado, para visitar o país em 2017, quando se completam 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida. Mas, em uma carta enviada no último dia 18, o líder católico afirmou que não virá ao Brasil e ainda cobra o presidente para cuidar mais da população carente.

Em um trecho divulgado da correspondência, Francisco pede para que Temer evite tomar medidas que possam agravar a situação dos pobres. “Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, escreveu o pontífice, segundo trecho publicado pelo jornalista Gerson Camarotti, da Globo News.

DIÁRIO DO SERTÃO

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores