header top bar

section content

Álcool compromete o cérebro mesmo sem causar embriaguez

Pessoas que bebem com mais frequência têm menor autopercepção de como o álcool afeta sua capacidade cognitiva, o que as coloca em um risco maior de danos

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

19/04/2017 às 15h06 • atualizado em 19/04/2017 às 09h11

Um novo estudo mostrou que embora pessoas que bebam grandes quantidades de álcool com frequência não percebam seus efeitos no organismo, a substância afeta sua capacidade cognitiva o que acaba colocando essas pessoas em maior risco de acidentes. (Thinkstock/Thinkstock)

Pessoas que bebem com frequência tendem a não sentir os efeitos do álcool, mesmo depois de algumas doses. No entanto, ainda é preciso ter cuidado. De acordo com estudo liderado pelo Sistema de Saúde para Veteranos do Exército de San Diego, nos Estados Unidos, embora não percebam, essas pessoas também enfrentam problemas cognitivos como redução da velocidade das habilidades motoras, memória de curto prazo e processamento complexo, o que pode ser grave.

Os maiores consumidores de álcool também demonstraram menor autopercepção de danos do que aqueles que costumam beber menos, o que pode resultar em comportamentos ainda mais arriscados quando bêbados. “Em geral, existe uma crença de que quem está acostumado a beber muito pode lidar com o álcool e que muitas tarefas diárias comuns não são afetadas pelo consumo”, disse Ty Brumback, autor do estudo e especialista em tratamento de vício, ao Daily Mail.

Veja

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com o Ministério de Louvor: Fonte de água da vida

SAÚDE MENTAL

VÍDEO: “Psicologia no Ar” reestreia na TV debatendo as dúvidas e estereótipos que os psicólogos carregam

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia

VÍDEO!

CONTRA MÃO: Aliado do prefeito de Cajazeiras critica políticos de Brasília, mas admite votar em “golpista”