header top bar

section content

Raimundo Lira explica que inclusão do Vale do Piancó na transposição ampliará cidades beneficiadas na PB.

O senador paraibano lembrou que a Paraíba já tem dois eixos de acesso ao São Francisco

Por

25/05/2015 às 16h31

O presidente da Comissão Externa do Senado que acompanha as obras de transposição de águas do Rio São Francisco, senador Raimundo Lira (PMDB-PB) confirmou que as obras da transposição avançam e já ultrapassaram os 70% de trechos concluídos. Lira defende a inclusão do Vale do Piancó, na Paraíba, no projeto de transposição, o que, segundo ele, ampliará o número de cidades paraibanas atendidas com a obra de 170 para 188 municípios.
 
O senador paraibano lembrou que a Paraíba já tem dois eixos de acesso ao São Francisco: o eixo Leste, que no seu projeto total conta com 217 km; e o eixo Norte, que conta com 260 km de extensão. Agora, ele disse que está atuando em Brasília para concretiza o anseio da Paraíba pela terceira entrada, para beneficiar mais 18 municípios do estado, de modo a evitar que falte água em qualquer época do ano na maioria dos municípios do estado.
 
“O eixo Leste tem 217 km de extensão e o eixo norte, 260 km. Nós estamos trabalhando para criar um terceiro eixo, no Rio Piancó, que vai perenizar o rio e abastecer o sistema Coremas – Mãe D’água, que tem capacidade para mais de 1 bilhão de m3 d’água. Essa acumulação vai chegar ao Rio Piranhas. É importante lembrar que a transposição vai atender 390 municípios da Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco. Com o terceiro eixo, o nosso Estado ganhará mais 18 cidades atendidas”, afirmou Lira.
 
Investimentos aumentaram – Raimundo Lira lembra que, nos quatro primeiros meses do ano, o governo investiu R$ 600 milhões nas obras, contra R$ 277 milhões no mesmo período do ano passado. O projeto contempla 477 quilômetros de canais, formando os eixos norte, que vai de Cabrobó (PE) a Cajazeiras (PB); e leste, com início em Floresta (PE) e término em Monteiro (PB), que conduzirão a água no semiárido nordestino.
 
Durante audiência pública na semana passada com o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, Lira obteve a informação de que as obras estão avançando e já chegam a 73,7% de execução. Ele lembra que, atualmente, a obra conta com 9.133 trabalhadores das construtoras ganhadoras das licitações e 3.888 máquinas operando diuturnamente.
 
Para acompanhar de perto o andamento das obras, os senadores decidiram que organizarão uma comitiva. Lira lembrou que o governo deve centrar esforços também na revitalização do Rio São Francisco. “Se não houver um trabalho firme, constante e permanente de revitalização do Rio São Francisco, daqui a duas ou três décadas os resultados positivos dessa transposição podem ser prejudicados pela falta de água”.
 
Raimundo Lira destacou a importância da obra para o semiárido nordestino, pois, na sua opinião, vai levar água para consumo humano e animal e para ações que vão alavancar o desenvolvimento sócio econômico do Nordeste, beneficiando diretamente centenas de municípios. Quando estiver pronta, confirma Lira, a transposição vai beneficiar mais de 12 milhões de nordestinos.

Assessoria

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares