header top bar

section content

Efraim Filho cobra explicações do Governo Federal sobre apagão no Nordeste

Efraim Filho também questionou a falta de investimentos dos últimos oito anos da Chesf

Por

29/08/2013 às 14h33

O deputado federal Efraim Filho (Democratas-PB) disse em entrevista que o Governo Federal precisa esclarecer os reais motivos que causaram o apagão no Nordeste na tarde desta quarta-feira, 28, que atingiu os Estados do Piauí, Paraíba, Alagoas, Ceará, Sergipe, Bahia, Pernambuco, Maranhão e Rio Grande do Norte. “Alegar que uma simples queimada é capaz de causar um blackout nessas proporções é assinar um atestado de falta de gestão”afirmou Efraim Filho.

Conforme o parlamentar entre setembro e dezembro do ano passado, uma série de apagões do setor elétrico atingiu Estados brasileiros. O primeiro, em 22 de setembro de 2012, cortou o fornecimento de energia de toda a região Nordeste, Pará e Tocantins. O último, em 15 de dezembro de 2012, atingiu 12 Estados do Sudeste, Sul, Norte e Centro-Oeste.

"Queremos saber o que efetivamente houve para que ocorresse esse grande apagão no Nordeste e quais providências serão tomadas para que isso não aconteça mais. Também é preciso saber quais investimentos irão acontecer, ainda este ano, para que a repetição desse lamentável fato possa ser evitada", afirmou Efraim Filho.

Efraim Filho também questionou a falta de investimentos dos últimos oito anos da Chesf (Companhia Hidroelétrica do São Francisco), procedimentos de inspeção e manutenção de todas as estações e subestações sob-responsabilidade da companhia e de que forma se dará o ressarcimento aos usuários e consumidores prejudicados por esse apagão.

O deputado prometeu cobrar um esclarecimento detalhado do Governo sobre o caso.

Assessoria

Tags:
VÍDEO!

Diário esportivo fala sobre os craques da Copa do Mundo e o futebol amador da cidade de Cajazeiras

EMPODERAMENTO

VÍDEO: Equipe Bike Girls de Cajazeiras promove neste final de semana pedal dedicado às mulheres

OUTRO LADO

Secretário de saúde diz que verbas federais serão mantidas e que o SAMU de Cajazeiras não vai fechar

PRECONCEITO

EM CAJAZEIRAS: Gari revela que as pessoas negam água e restaurantes proíbem entrada para comprar marmita