header top bar

section content

Empresário é apontado como líder de quadrilha que atuava na PB e em PE

Segundo PC, suspeito liderava grupo que explodia caixas eletrônicos. Arsenal apreendido em novembro do ano passado pertencia a empresário.

Por Priscila Belmont

22/03/2017 às 16h16

Empresário é procurado pela Polícia Civil, apontado como líder de quadrilha que atuava na Paraíba e em Pernambuco (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um empresário, de 39 anos, foi identificado na manhã desta quarta-feira (22), como suspeito de liderar uma quadrilha especializada em explodir caixas eletrônicos nos estados da Paraíba e Pernambuco. Segundo informações da Polícia Civil, o suspeito é dono de um arsenal apreendido na cidade de Barra de Santana e Queimadas, ambas no Agreste paraibano, no mês de novembro do ano passado.

O empresário é suspeito de ser um dos líderes desta quadrilha e teve mandado de prisão expedido pela Justiça. Ele está foragido e a polícia pede que se alguma pessoa souber o paradeiro do homem, ligue para o Disque Denúncia 197.

Na ocasião, a polícia apreendeu, munições, explosivos, máscaras de palhaços, seis fuzis, uma submetralhadora, cinco pistolas e nove coletes à prova de balas. Entre os explosivos, pelo menos 29 dinamites com detonadores estavam nos materiais.

Ainda conforme a Polícia Civil, o empresário atua em Campina Grande, no ramo de revenda de gás de cozinha e similares. A investigação já durava meses e após exames periciais ficou constatado que as armas apreendidas serviam a uma quadrilha que explodia caixas eletrônicos. Dentre os armamentos estavam fuzis de fabricação russa.

G1

Recomendado para você pelo google

ENTREVISTA

Presidenta do Coren diz que enfermeiro pode ter clínica, luta pelo piso salarial e fala sobre concursos

POSSÍVEL CANDIDATO

VÍDEO: Ex-prefeito de Cachoeira dos Índios revela quais os ‘vices dos sonhos’ para sua chapa em 2020

AVENIDA LOTADA

VÍDEO: Show de comunidade católica famosa em todo o Brasil reúne multidão em São José de Piranhas

TERRAS

VÍDEO: Diversidade em Foco fala da Comissão Pastoral da terra e da luta agrária no sertão