header top bar

section content

Exclusivo: suspeito de integrar quadrilha de assalto a bancos é preso pela Polícia. Vídeo!

Após ser preso, o assaltante foi encaminhado pelos policiais militares até a delegacia de Polícia Civil de Sousa

Por

02/12/2014 às 12h25

Acusado foi preso pela Polícia (Foto: Diário do Sertão)

O jovem Paulo Fernandes dos Santos foi preso em uma operação realizada pela Polícia Militar de Bom Sucesso e de Sousa integrada com a Polícia Civil. Contra o acusado existe um mandado de prisão expedido pelo juiz Philippe Guimarães Padilha, da 6ª Vara da Comarca de Sousa.

De acordo com informações do Major Rômulo Ferreira do 14° Batalhão da Polícia Miliar, após investigações, o acusado acabou sendo preso na casa de familiares no município de Bom Sucesso. Ele é suspeito de integrar uma quadrilha especializada em assaltos a bancos e explosão de caixas eletrônicos na Paraíba. O acusado também participou de outros roubos no Rio Grande do Norte.

Após ser preso, o assaltante foi encaminhado pelos policiais militares até a delegacia de Polícia Civil de Sousa. Na DP, o acusado confessou que não tem envolvimento com assaltos a bancos. “Não tenho envolvimento, isso vai ser esclarecido pelo meu advogado”, disse.

O delegado da 19ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp) de Sousa, Sylvio Rabello, prestou entrevista exclusiva ao portal e TV Online Diário do Sertão e  falou sobre a operação policial. “Esse acusado já tem envolvimento em vários crimes. Estamos investigando a participação dele em explosões de caixas eletrônicos na Paraíba”, disse o acusado.

Veja vídeo!

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias

SAÚDE E BEM-ESTAR

VÍDEO: Sangramento nas regiões do reto e do ânus pode ser sinal de doença grave, avisa médico

APOIO DE CRAQUE

VÍDEO: Embaixador do Campeonato Paraibano, Hulk diz que está à disposição para ajudar clubes do Sertão

COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS

VÍDEO: Para advogado da OAB de Cajazeiras, investir em presídios e não em escolas é ‘enxugar gelo’