header top bar

section content

Assassino do subcomandante do 6º BPM foi indiciado por homicídio qualificado

De acordo com informações, o Sargento Valdiran Ferreira, na prisão militar na cidade de Campina Grande, demonstra visíveis sinais de arrependimento, tendo crises constantes de choro.

Por

20/06/2009 às 20h18

A Justiça Militar, após receber relatório inicial das investigações da morte do subcomandante do 6º BPM, acontecido no dia 11 de junho, na sede do Batalhão em Cajazeiras, indiciou o sargento Valdiran Pereira da Silva de 38 anos, casado, natural de Cajazeiras, por prática de crime de homicídio qualificado, por ter assassinado o Major Albuquerque.

O indiciamento foi procedido em investigação preliminar conduzida pelo Major José Ronildo. De acordo com o Major da PM, durante o interrogatório o Sargento se reservou no direito de permanecer calado e mesmo com sintomas e informações de ter ingerido bebida alcoólica, também não quis fazer o exame toxicológico. Ele foi ouvido na presença de seus advogados o Dr. Francinaldo e o Dr. Pedro Neto que por sinal, este último é irmão do PM.

Segundo Major Ronildo, a Polícia está aguardando as perícias que foram solicitadas, já que ainda existem algumas duvidas sobre o assassinato ocorrido no próprio quartel em um dos alojamentos onde se encontrava o subcomandante Albuquerque. As perícias vão dizer qual a trajetória das balas, o número exato de projeteis que atingiram a vítima e se realmente o também militar Aldair Albuquerque foi morto dormindo, já que há informações de que ele teria sido executado em pé.

Por ser um crime de Ordem Militar, toda investigação será apurada por uma “Auditoria Militar do Estado” órgão da própria justiça. O juiz que deverá fazer o julgamento do PM Valdiran será o Dr. Ricardo Vital. Diferente do Tribunal do Júri Popular a que e submetido um cidadão comum, o Militar tem que ser julgado por um Conselho que é formado por um Juiz de Direito, um Promotor e 4 (quatro) oficias que formam uma espécie de juizes militares, este últimos tem direito ao voto, apenas em caso de empate é que haverá decisão por parte do juiz, já o promotor é o responsável pela denuncia.

De acordo com informações, o Sargento Valdiran Pereira da Silva, na prisão militar com sede na cidade de Campina Grande, 2º Batalhão demonstra visíveis sinais de arrependimento, tendo crises constantes de choro.

O Major Ronildo, disse que o PM que cometeu o crime tinha boa imagem dentro da corporação e que agora as investigações terão continuidades, sendo que as perícias aguardadas terão fundamental importância na continuidade das investigações do bárbaro crime que chamou a tenção de toda a Paraíba.

Conforme informações preliminares, o Sargento PM Valdiran Ferreira, poderá perder a farda antes mesmo do julgamento, perdendo assim as regalias de prisão especial, tendo que ser transferido para um presidio de segurança máxima, possivelmente o Serrotão.

Da Redaçao do Diário do Sertão
Com Mário Gibson

Tags:
FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo traz resumo da 2ª rodada do Paraibano e detalhes da nova contratação do Atlético

COM CHICO CARDOSO

VÍDEO: ‘Briga’ entre Zé Aldemir e Airton, e Tyrone com os Gadelhas são os destaques do Direto ao Ponto

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Advogadas tiram dúvidas sobre Previdência Social e criticam atendimento no INSS de Cajazeiras

DIRETO AO PONTO

VÍDEO: Júnior e Jeová começam a ganhar cargos em Cajazeiras e “sinal vermelho foi ligado”, diz colunista