header top bar

section content

Internauta sugere que pais estuprem filhas e gera revolta na web

Mallone Morais possui um canal no Youtube no qual posta monólogos dele discursando sobre assuntos polêmicos

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

13/09/2016 às 11h35 • atualizado em 13/09/2016 às 09h38

Mallone Morais, de 23 anos, foi preso em janeiro deste ano, suspeito de abusar sexualmente de crianças (Foto: Reprodução)

Um homem que possui um canal no Youtube no qual publica vídeos com monólogos dele opinando sobre temas polêmicos, como ele mesmo se refere, despertou a ira de centenas de internautas com um conteúdo postado por ele no último sábado (10).

No vídeo, Mallone Morais, que foi preso no início deste ano por pedofilia, mas pagou fiança e acabou solto, sugere que pais estuprem as próprias filhas, argumentando que a prática é benéfica para a iniciação sexual de meninas.

Nos comentários do vídeo que é um verdadeiro absurso, internautas pedem a prisão de Mallone e alguns até prometem encontrá-lo para “fazer justiça” com as próprias mãos contra o rapaz, que é de São Paulo.

Como destacou o site da Revista Fórum, Mallone diz que a gravação é também uma homenagem a James Bartholomew Huskey, professor de tênis norte-americano que abusou de alunas e filmou os atos. Ele foi preso e pegou 70 anos de cadeia.

A justificativa de Mallone é que se o pai estuprar a filha, ele ensinara a menina a escolher seus parceiros, não tendo relações sexuais com “maconheiros” e nem se torne uma “feminista”. Ele ainda ataca os gays.

Notícias ao Minuto

Tags:
CRISE?

VÍDEO: Empresário afirma que tem vagas de emprego em Cajazeiras, mas faltam profissionais capacitados

DIRETO AO PONTO

Eleitos em Cajazeiras devem se comprometer com aeródromo, estrada de Boqueirão e hospital, diz colunista

OLHARES DA EXPERIÊNCIA

VÍDEO: No dia dos professores, educadoras de Cajazeiras falam sobre prazeres e desafios da profissão

'NOVA SOUSA'

EXCLUSIVO: Europeu explica por que escolheu Sousa para um dos maiores empreendimentos da região Nordeste