header top bar

section content

Homem estuprou e engravidou a própria sobrinha com problemas mentais

Edivaldo Silva Santos, de 60 anos, teve a prisão preventiva decretada, mas segue foragido

Por

16/04/2015 às 08h10

A jovem tem idade mental de 6 anos (Foto: Reprodução/Rede Record)

Os crimes de abuso sexual são cada vez mais registrados e chocam quando divulgados. Fabiana Marcelino Barbosa, de 21 anos, está gravida após ter sido estuprada por seu tio, o aposentado Edivaldo Silva Santos. A jovem nasceu nasceu com síndrome que faz com a idade mental dela seja de uma criança de seis anos. 

O metalúrgico aposentado, de 60 anos, se aproveitava da fraqueza da sobrinha para cometer os abusos.

De acordo com os familiares, a gravidez foi descoberta após a jovem passar mal e realizar uma ultrassonografia. Os pais de Fabiana contam que não conseguiam acreditar no que estava acontecendo, já que a garota nunca teve namorado e necessita de cuidados constantes em virtude do atraso mental. 

Ela sofreu os abusos, mas não chegou a contar para ninguém sobre os assédios que aconteciam no quintal de sua casa.

Quando a família descobriu a gravidez, questiona quem seria o pai da criança, já que ninguém tem conhecimento de um namorado, ela conta que o tio a estuprou enquanto ninguém estava em casa, durante a internação de outro familiar.

O acusado está foragido e teve prisão temporária decretada. De acordo com as investigações da Polícia, o caso aconteceu em São Paulo, mas o rapaz teria ido buscar refúgio na Bahia assim que a família descobriu a gravidez de Fabiana.

R7

Tags:

Recomendado para você pelo google

RELAÇÃO COM EMPRESÁRIOS

VÍDEO: Prefeito de Cajazeiras não descarta fazer uma reforma tributária e manda recado para ‘algozes’

SERVIÇO MILITAR

VÍDEO: Quase 100 novos atiradores são incorporados ao Tiro de Guerra de Cajazeiras durante solenidade

TRIMESTRE CHUVOSO

VÍDEO: Açude Grande de Cajazeiras sangra pela primeira vez em 2019 e traz esperança para a população

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras