header top bar

section content

“Joguei porque a geladeira estava quebrada”. Diz mãe de bebê encontrado em terreno baldio.

Após seis meses, qualquer bebê, mesmo que nasça morto, precisa ser registrado em cartório. A mãe e os vizinhos da jovem alegam que não sabiam que ela estava grávida

Por

20/02/2015 às 09h30

Corpo só foi encontrado após pedreiro sentir um forte cheiro. Foto Reprodução

A polícia investiga uma jovem, moradora da zona norte de São Paulo, suspeita de jogar em um terreno baldio um bebê. Há 40 dias, Bárbara Blois foi flagrada por câmeras do prédio em que vive dias atirando uma caixa em um terreno baldio. Na ocasião, ela disse que se tratava de carne estragada, porque a geladeira havia quebrado.

Porém, recentemente, um pedreiro contratado pelo prédio quebrou a parede para uma obra e sentiu um forte cheiro vindo do terreno baldio.

Quando ele e outras pessoas decidiram verificar a caixa, levaram um susto. Encontraram um corpo de bebê lá dentro.

O corpo estava enrolado em diversas sacolas e toalhas, uma delas com o nome de Bárbara.

A polícia foi chamada e assim que a jovem chegou ao condomínio, no bairro Santa Terezinha, foi levada ao 13º Distrito Policial (Casa Verde).

Os investigadores querem saber em quais circunstâncias a jovem abandonou o corpo. Não há certeza se o bebê nasceu vivo. Após seis meses, qualquer bebê, mesmo que nasça morto, precisa ser registrado em cartório.

A mãe e os vizinhos da jovem alegam que não sabiam que ela estava grávida. O corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal).

R7 

Tags:

Recomendado para você pelo google

SONHO REALIZADO

VÍDEO/FOTOS: Prefeitura de Cajazeiras realiza sorteio de 300 apartamentos e evento é marcado pela emoção

MUITA ÁGUA!

A MAIOR DA HISTÓRIA: ruas e avenidas em Sousa viram rios após fortes chuvas durante a madrugada. Veja!

SERTÃO EM DESTAQUE

VÍDEO: Com cajazeirense na vice-presidência, Paulo Maia toma posse para comandar OAB Paraíba até 2021

MODELOS DE SUCESSO

VÍDEO: Empresários do Pará interessados em implantar TV A CABO visitam Netline e TV Diário do Sertão