header top bar

section content

Decreto de férias coletivas pode deixar população sem atendimento de saúde em município da Paraíba

Município já sofre com déficit de oito médicos, afirma secretária de saúde

Por G1 PB

01/12/2018 às 17h41 • atualizado em 01/12/2018 às 17h42

Decreto nº 1.874 estabelece férias coletivas para os servidores (Foto: Prefeitura de Esperança/Reprodução)

Se conseguir atendimento nos estabelecimentos de saúde públicos já é uma tarefa difícil em épocas normais, os mais de 33 mil moradores da cidade de Esperança, no interior da Paraíba, devem se preparar para enfrentar dias ainda mais turbulentos. É que o prefeito da cidade, Nobinho Almeida, assinou o Decreto nº 1.874, que estabelece férias coletivas para os servidores da saúde do município entre os dias 15 de dezembro e 15 de janeiro.

A medida, que abrange as 12 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBS) da cidade, além do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), Laboratório, Policlínica e Farmácia Básica, tem a finalidade, conforme texto do decreto, de “contingenciamento de gastos em todos os âmbitos da administração, objetivando o equilíbrio financeiro das contas municipais de forma que sejam cumpridas as metas orçamentárias estipuladas pela legislação pertinente”.

Ainda conforme o documento, os demais servidores “contratados por excepcional interesse público” terão seus contratos rescindidos em 15 de dezembro. Já os servidores contratados, lotados no Hospital Municipal de Esperança e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), terão os contratos mantidos até 31 de dezembro.

VEJA MAISPrefeita do Sertão da PB exonera servidores e proíbe gratificações para reduzir gastos

O G1 buscou resposta da secretaria municipal de saúde sobre como ficará a situação dos moradores da cidade, já que, de acordo com a secretária Ana Lígia Passos, o município sofre com um déficit de oito médicos nos postos, em virtude da migração dos profissionais para o Programa Mais Médicos.

“Na próxima semana vou me reunir com o secretário de administração para ver quantos servidores podem tirar férias, mas garantimos que pelo menos 50% do serviço vai funcionar normalmente, nenhum estabelecimento vai fechar”, afirmou a secretária. Segundo a gestora, o atendimento da população estará garantido com quatro médicos na Atenção Básica, dois no Hospital Municipal e um no Samu.

Fonte: G1 PB - https://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2018/11/30/decreto-de-ferias-coletivas-pode-deixar-populacao-sem-atendimento-de-saude-em-esperanca-na-pb.ghtml

ASSISTA!

Arquitetura, urbanismo e direitos humanos marcaram último episódio da temporada do Coisas de Cajazeiras

VÍDEO

Comemorando o dia dos Direitos Humanos, professor fala sobre os avanços da data no Diversidade em Foco

SERTÃO PRESTIGIADO

VÍDEO: Com cajazeirense na vice-presidência, OAB-PB empossa os eleitos para comandar a instituição

ÁGUA

VÍDEO: Prefeito de Santa Helena inaugura barragem na comunidade São Bento e açude já acumula água