header top bar

section content

Saiba os motivos dos preços recordes da carne bovina no Brasil

No interior de São Paulo, valor do quilo da picanha subiu quase R$ 10, motivado pelas exportações aquecidas para o país asiático

Por Luzia de Sousa

24/11/2019 às 15h07

Carne bovina aumentou o preço no Brasil

O preço do boi gordo está batendo todos os recordes no Brasil. E o Globo Rural visitou frigoríficos, fazendas, leilões e açougues para entender o motivo de altas tão expressivas.

Em São José do Rio Preto, no noroeste paulista, consumidores se assustaram com o preço do quilo da carne bovina. No açougue do comerciante Celso Barbosa, em 10 dias, a picanha passou de R$ 34 o quilo para quase R$ 43, e o acém de R$ 14 para R$ 20.

“Ontem eu paguei a carne num preço, hoje já paguei outro preço, amanhã já vem outro preço”, diz Barbosa, mostrando a instabilidade dos valores da carne.

Em um frigorífico próximo dali, no município de Estrela D´Oeste, para entender porque o preço da carne subiu.

Por lá, são abatidas 1.600 cabeças de gado por dia, o frigorífico produz uma média de 5 toneladas de carne bovina por mês. Metade é exportada pra china, que paga até 15% a mais no quilo do que o mercado interno.

Festas de fim de ano
A empresa explica que a procura da China pela proteína brasileira cresceu por alguns motivos, um deles é que os embarques precisam ocorrer agora para dar tempo dos asiáticos terem carne para comemorar o ano novo chinês, que será no dia 25 de janeiro.

Além disso, a China importou mais carne de boi brasileira para compensar a queda na produção de alimentos causada pela peste suína africana, que matou milhares de rebanhos do país e diminuiu drasticamente a produção da proteína animal mais consumida por eles.

A exportação de carne bovina bateu um recorde em outubro: 185 mil toneladas. No acumulado do ano, a venda de carne para o exterior cresceu 10% em volume e 7,5% em faturamento.

E toda essa demanda de carne levou essa semana a arroba do boi gordo a bater recorde histórico, passando dos R$ 200.

Reposição mais cara
E o aumento do preço da arroba do boi gordo mexe com toda a cadeia da pecuária de corte, faz aumentar, por exemplo, a demanda por animais de reposição, sobe o preço de garrotes e novilhas nos leilões.

Em Ubarana, também no interior paulista, o empresário José Herrera, dono de um leilão de gado, conta que vendia toda semana cerca de 1200 cabeças, mas agora não está conseguindo nem a metade desse rebanho para vender.

“A gente só escuta produtor querendo comprar, mas cadê, não tem hoje no mercado. Na verdade a reposição ficou difícil”, explica Herrera.

Segundo ele, um garrote está custando entre R$ 1.600 e R$ 1.800. No mês passado, o mesmo animal estava em torno de R$ 1.300.

G1

Tags:

Recomendado para você pelo google

DESTAQUE

VÍDEO: Projeto de microcrédito coordenado por cajazeirense vence prêmio internacional em São Paulo

SE SENTINDO TRAÍDO

VÍDEO: Ricardo cita nomes responsáveis por racha e rejeita amizade com João: “Está na página deplorável”

FIM DO SONHO?

VÍDEO: Membro do comitê pede explicações sobre a não entrega do projeto do HU do Sertão dentro do prazo

VÍDEO

Júnior promete apoiar Denise para disputar prefeitura de Cajazeiras e denuncia gestão de Zé Aldemir