header top bar

section content

Vereador diz que o uso de capacete deve ser proibido em Sousa: “Todos vivem com medo”. Assista!

A reportagem foi até as ruas entrevistar a população sobre o projeto visa proibir uso de capacete em estabelecimentos comerciais

Por

26/11/2015 às 13h54

Está tramitando no Poder Legislativo de Sousa, no Sertão da Paraíba, o projeto de lei de número 031/2015 de autoria do presidente da Câmara Municipal de Sousa, o vereador Aldeone Abrantes (PTB). De acordo com o conteúdo do que foi proposto pelo parlamentar sousense, será proibido o ingresso ou permanência de pessoas utilizando capacete ou qualquer tipo de cobertura que oculte a face, nos estabelecimentos comerciais, industriais, públicos ou abertos ao público e instituições financeiras. 

Proibição parcial
De acordo com o projeto,  até mesmo nos postos de combustíveis e locais abertos ao público, considera-se proibido o ingresso ou permanência de pessoa usando capacete, gorro qualquer tipo de cobertura que oculte a face, em toda área pertencente ao posto de combustível ou locais abertos ao público, a partir da entrada ou calçada. 

Os responsáveis pelos estabelecimentos ainda terão um prazo de trinta dias, a contar a partir da publicação da lei para afixarem placas informativas nas entradas dos estabelecimentos, informando que é “proibido o uso de capacete, gorro ou qualquer tipo de cobertura que oculte a face”. A lei entra entrará em vigor em 30 dias após sua publicação, revogando-se as disposições contrárias. 

A reportagem do Portal e TV Diário do Sertão foi até as ruas entrevistar a população sobre o projeto. Todos os entrevistados foram a favor do projeto de lei. Funcionários de um posto de combustíveis também disseram que apoiam a nova medida.

Proibição total
O vereador Evaldo Araújo, mais conhecido como "Batatinha" revelou que o ideal seria proibir o uso de capacetes em toda a cidade e já debateu o assunto com os demais vereadores na Câmara Municipal. "Eu ando a noite de moto usando capacete pelos bairros e quando os moradores me vêem elas correm para dentro de casa, com medo de serem assaltados. Sou a favor do projeto de Aldeone, porém eu sugiro que seja dispensado por 120 dias o uso do equipamento de segurança em toda a cidade, até que seja reduzido os índices de violência na cidade", destacou Batatinha.

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
ESTÁ NA CAPITAL DESDE 2015

EXCLUSIVO: Após três anos, lendário padre de Cajazeiras revela o que motivou sua ida para João Pessoa

AMOR E FÉ

ESPECIAL DE FÉRIAS: Crianças e adolescentes de Cajazeiras e Sousa abrilhantam programa na TV Diário

AUXILIAR DO TROVÃO

VÍDEO: Agora no Atlético-PB, ex-jogador do Corinthians está confiante em vaga no Brasileirão da Série D

SAÚDE & BEM-ESTAR

VÍDEO: Médico alerta para consequências do uso excessivo de alguns medicamentos no aparelho digestivo