header top bar

section content

Nova adutora de Cajazeiras está 60% pronta e Cagepa descarta racionamento na cidade

As obras da adutora do açude Lagoa do Arroz estão em pleno vapor.

Por

22/11/2014 às 12h59

Nova adutora da cidade de Cajazeiras. Veja!

As obras da adutora do açude Lagoa do Arroz estão em pleno vapor. A adutora vai abastecer a Zona Norte da cidade de Cajazeiras, pois quando estiver operando vai diminuir a dependência do açude de Engenheiro Ávidos (Boqueirão), que no momento está com um volume muito baixo.

A adutora do açude de Lagoa do Arroz terá uma extensão de 13,6 km e vai transportar água bruta, já que a Estação de Tratamento será construída no Mutirão, com diâmetro de 300 mm e vazão de 80 litros por segundo e 288 metros cúbicos por hora. A obra vai custar 6,5 milhões de reais. A tubulação será colocada sobre o solo, sem a necessidade de escavações. Atualmente a zona norte da cidade recebe água dia sim, dia não, como as demais zonas da cidade.

Segundo o gerente regional da CAGEPA, Cleudismar Alexandre (Nenen), 60% das obras já foram executadas. Ele disse que foi instalada a Casa de Bombas, inclusive, com dois conjuntos de bombas instalados; já foram adquiridos, quadros de comando, subestação e ¼ da tubulação já está pronta.

O gerente disse que não tivesse ocorrido o incêndio criminoso no local onde vai ser construída a ETA, no Bairro do Mutirão, onde as caixas e outros materiais foram queimados, causando um prejuízo de R$ 450 mil, certamente, a Estação de Tratamento também já estaria pronta.

Pena
O gerente informou que a empresa contratada já está com 60% do novo material pronto para ser repassado à CAGEPA, para iniciar a noiva ETA, que será moderna e vai operar sem desperdícios. Atualmente a zona norte da cidade e outros setores recebem água dia sim, dia não, tendo em vista que não tem como distribuir a água que vem de Boqueirão de uma só vez, pois a tubulação velha, obsoleta não aguenta a pressão. Quando falta energia elétrica em Boqueirão ou o rompimento da tubulação, os bairros mais altos e distantes ficam alguns dias sem água, até que o sistema seja normalizado. Outra dificuldade tem sido o crescimento da cidade, com novos bairros e loteamentos surgindo no seu entorno, por isso a adutora de Lagoa do Arroz será importantíssima, disse Nenen.

Racionamento
O gerente do Escritório Regional da CAGEPA descartou a possibilidade de racionamento de água, pelo menos até o final do ano. Ele disse que a evaporação nesse período de sol forte e muito calor, tira mais água do reservatório de Boqueirão, do que a água consumida pela população, que já foi de 600 mil metros cúbicos por mês e hoje caiu para 400/450 mil metros, graças a ações desenvolvidas pela empresa e a consciência da própria população de que deve não deve desperdiçar, Ele informou que a evaporação tira de Boqueirão mensalmente Um milhão e 200 mil metros cúbicos de água.

Nenen disse que a CAGEPA adquiriu um equipamento flutuante, caso não chova em janeiro e dezembro e o volume de água de Boqueirão não seja suficiente para fazer a captação do fundo, como ocorre atualmente. “É apenas uma medida preventiva”, disse.

DIÁRIO DO SERTÃO com Gazeta do Alto Pirnahas

Tags:
ÁGUA

VÍDEO: Prefeito de Santa Helena inaugura barragem na comunidade São Bento e açude já acumula água

CAMPEONATO PARAIBANO 2019

Ele vem aí! Sousa Esporte Clube apresenta novo time e garante lutar com raça pelo título do Paraibano

DESTAQUE INTERNACIONAL

VÍDEO: Em Cajazeiras, palestrante filho de paraibanos fala das suas experiências no Brasil e no exterior

"AQUI NESSA MESA DE BAR"

VÍDEO: Homenagem a garçons de Cajazeiras no programa Xeque-Mate tem música, drinks e boas histórias