header top bar

section content

Morre ator da fantástica fábrica de chocolate

Gene Wilder, ator que interpretou o Willy Wonka, morre aos 83 anos

Por Luzia de Sousa

30/08/2016 às 07h37

Gene Wilder, ator que intepretou o Willy Wonka em “A fantástica fábrica de chocolate” (1971), morreu aos 83 anos, disse sua família à agência de notícias Associated Press nesta segunda-feira (29).

Um sobrinho do ator disse que ele morreu devido a complicações do mal de Alzhemier, neste mês, sem especificar a data, na cidade de Stamford, no estado de Connecticut, nos EUA.

Jerome Silberman, nome real do ator, nasceu na cidade de Milwaukee, nos Estados Unidos. Ele foi duas vezes indicado ao Oscar: de ator coadjuvante em “Primavera Para Hitler” (1967) e de roteiro adaptado em “O Jovem Frankenstein” (1974).

Ele também recebeu duas indicações ao Globo de Ouro, pelos papéis em “O Expresso de Chicago” (1976) e “A fantástica fábrica de chocolate” (1971), filme que rendeu a ele seu personagem mais marcante, o Willy Wonka.

Em 2005, em nova adaptação de “A fantástica fábrica de chocolate” para o cinema, o papel de Willy Wonka foi interpretado por Johnny Depp.

Gene Wilder ganhou um Emmy em 1998, de melhor ator convidado em série de comédia, graças a uma participação especial em “Will & Grace”.

Um dos grandes parceiros de Wilder foi o diretor americano Mel Brooks. Juntos, eles trabalharam em filmes como “Banzé no Oeste” e “O Jovem Frankenstein”, no qual o ator também assinou como roteirista. Wilder também dirigiu cinco longas, incluindo “A dama de vermelho” (1984) e “O maior amante do mundo (1977).

G1

DIÁRIO ESPORTIVO

VÍDEO: Na TV, dirigentes do Atlético de Cajazeiras explicam contratações fechadas e outras que ‘melaram’

NOVAS CRÍTICAS

VÍDEO: Para líder católico de Cajazeiras, o Nordeste será “um recanto esquecido” por Bolsonaro

CLIMA DE EMOÇÃO

VÍDEO: Amigos e familiares destacam o legado de Dr. Toinho durante velório do advogado em Cajazeiras

ECONOMIA

VÍDEO: Com fila zerada, Bolsa Família injeta quase R$ 2 milhões por mês em Cajazeiras, diz coordenador