header top bar

section content

Melancia, Jaca, Melão… Por onde andam as mulheres-frutas?

Funkeiras se destacaram nos anos 2000, mas nem todas continuam na mídia.

Por Priscila Belmont

11/07/2017 às 09h10

Foto: Montagem R7/Reprodução/Instagram

As mulheres-frutas foram a grande sensação dos anos 2000 no funk carioca. Elas ganharam fama e a atenção do público por, além das músicas, seus atributos físicos um tanto avantajados. Mas você sabe por onde elas andam? Descubra a seguir!

Mulher Melancia

Andressa Soares, mais conhecida como Mulher Melancia, foi a primeira dançarina a receber o título de mulher-fruta, que rapidamente se popularizou e virou referência entre as dançarinas de funk no Rio de Janeiro.

Ex-dançarina de Mc Créu, ela é uma das poucas que ainda está em alta com o público. Andressa tem cerca de 1,2 milhão de seguidores no Instagram, a rede social mais usada atualmente pelos artistas.

Melancia continua realizando shows de funk pelo Brasil. Já na web, ela compartilha imagens exibindo todas as suas curvas, além de vídeos em que aparece dançando e mostrando todo o seu rebolado.

Mulher Melão

Renata Frisson, nome artístico de Cristina Célia Antunes Batista, surgiu no cenário funk em 2008, quando saiu fantasiada de sereia em um carro-alegórico da Vila Isabel. O sucesso foi absoluto.

Assim como Melancia, Mulher Melão também continua em alta. Em junho deste ano, ela levou os fãs à loucura ao estampar a capa da revista Sexy.

Nas redes sociais, Renata também está com tudo: são quase 1 milhão de seguidores no Instagram.

Mulher Pera

Suellen Aline se tornou a Mulher Pera por conta do uso de espartilho para diminuir a cintura e aumentar o quadril.

A cantora e dançarina se orgulhava tanto de seu apelido que tatuou “Mulher Pera” em seu braço esquerdo.

Atualmente, ela não está mais presente na mídia, mas, mesmo assim, em suas redes sociais, Pera diz que está à disposição para shows.

Mulher Jaca

Dayane Cristina, assim como Melancia, ganhou fama nacional também por meio de MC Créu, que foi quem a batizou de Mulher Jaca. No início de sua carreira, as duas mulheres-frutas dançavam juntas.

Mulher Jaca talvez tenha sido uma das mulheres-frutas que menos fez sucesso. Atualmente, ela vive nos Estados Unidos e mostra que a vida vai muito bem, obrigada.

Nas redes sociais, ela compartilha imagens de sua nova rotina, que inclui muita malhação. Dayane mostra que pega pesado para continuar com o corpão.

Mulher Maçã

Gracy Kelly recebeu o apelido graças ao seu funk “A Maçã, o Fruto Proibido”. Maçã já foi cantora e dançarina dos MCs Leozinho e Serginho, além do Movimento Funk Clube.

A dançarina trabalhou, recentemente, como apresentadora de um programa de televisão para adultos.

Nas redes sociais, Mulher Maçã não é muito ativa, apesar de somar mais de 24 mil seguidores no Instagram.

Mulher Moranguinho

Ellen Cardoso começou a carreira no funk com MC Créu, substituindo a Mulher Melancia.

A ex-dançarina largou a profissão a pedido do maridão Naldo Benny, com quem está casada desde 2013 e tem uma filha, Maria Victória.

A ex-diva do funk já encantou muitos marmanjos com suas danças sensuais, mas, atualmente, cuida da família. Ellen se tornou empresária no ramo da moda, vendendo calçados, roupas e acessórios.

R7

ESTÁ NA CAPITAL DESDE 2015

EXCLUSIVO: Após três anos, lendário padre de Cajazeiras revela o que motivou sua ida para João Pessoa

AMOR E FÉ

ESPECIAL DE FÉRIAS: Crianças e adolescentes de Cajazeiras e Sousa abrilhantam programa na TV Diário

AUXILIAR DO TROVÃO

VÍDEO: Agora no Atlético-PB, ex-jogador do Corinthians está confiante em vaga no Brasileirão da Série D

SAÚDE & BEM-ESTAR

VÍDEO: Médico alerta para consequências do uso excessivo de alguns medicamentos no aparelho digestivo