header top bar

section content

Família é presa por velar mulher viva em funerária para esperar morte

Justiça determinou a prisão preventiva da filha, do marido e de uma tia da vítima, por tentativa de homicídio e feminicídio

Por Priscila Belmont

07/08/2017 às 10h00 • atualizado em 07/08/2017 às 10h02

Carmem Chacón no momento em que era retirada de seu funeral; seu estado de saúde ainda é grave

A boliviana Carmen del Pilar Chacón, de 64 anos, padecia, gravemente, de uma série de doenças em La Paz, capital de seu país: pneumonia, diabetes, hipertensão e anemia. Inconsciente e internada em um hospital da cidade, ela foi retirada da unidade de saúde por uma filha. O motivo? Velar o corpo da mãe em uma funerária, para “esperar pela morte”.

Depois de passar 18 horas sobre uma mesa e coberta por uma manta, Carmen Chacón foi encontrada pela polícia viva e rodeada por familiares “de luto” na quarta-feira (2/8). Adiantar o velório dela custou caro para a filha e outros dois parentes: o marido e uma tia dele. De acordo com informações do jornal boliviano La Razón, o trio foi preso, por ordem da Justiça, acusado de tentativa de homicídio e feminicídio.

“Os familiares disseram que haviam recebido (do médico) a informação de que (Chacón) morreria e pediram alta voluntária. Evidentemente foram (à funerária) deixá-la esperando a morte”, contou o promotor de La Paz Edwin Blanco ao diário.

Durante o velório, uma amiga de Carmen Chacón notou que ela ainda estava respirando. “Aproximei-me para ver minha amiga e vi que ela estava com vida em uma mesa, coberta por uma manta”, relatou Escarly Ticona, em sua conta no Facebook. A uma emissora de televisão local, a ATB, ela contou que questionou a filha de Carmen sobre ter levado a mãe à funerária sem que estivesse morta.

“Ela me disse que não poderia levá-la para sua casa porque tem uma filha”, narrou Escarly Ticona.

A polícia também deteve o administrador da funerária onde a mulher era velada. No entanto, o liberou por falta de provas de que tivesse consentido com o ato. O homem contou a ATB que um incidente inusitado como esse jamais havia ocorrido no local.

Repercussão

O caso, rapidamente, causou comoção nacional e se tornou um dos mais comentados na Bolívia. Inclusive por autoridades, como o ministro da Justiça, Héctor Arce. “O que está acontecendo com a nossa sociedade? Por acaso perdemos todos os valores humanos? Exigimos uma profunda investigação”, criticou o chefe da pasta.

Após a confusão, Carmen Chacón foi hospitalizada novamente. O estado de saúde dela permanecia grave até a sexta-feira (4/7). Os médicos que a haviam tratado inicialmente negaram que disseram aos familiares da mulher que ela estava à beira da morte.

Metrópoles

Recomendado para você pelo google

ESPECIAL DE PÁSCOA

VÍDEO: TVDS exibe programa ‘Mensagem de Fé com Frei João Batista’ em especial de Semana Santa

FÉ E DEVOÇÃO

Sexta-feira Santa em Cajazeiras é marcada por várias celebrações religiosas e grande número de fiéis

SAÚDE

VÍDEO: Xeque Mate fala sobre a obesidade e médica endocrinologista tira dúvidas sobre a doença; Veja!

SEMANA SANTA PARA OS EVANGÉLICOS

VÍDEO: Pastor fala sobre significado da Páscoa para os protestantes: “É o sacrifício e a libertação”