header top bar

section content

Tudo o que você precisa saber sobre o ponto G para sentir mais prazer na hora do sexo

O ponto G é uma das zonas erógenas femininas que, quando estimulada, pode proporcionar mais prazer à mulher; saiba como localizar e explorar

Por IG

28/12/2018 às 09h51

A masturbação é a melhor forma de estimular o Ponto G

A sexualidade feminina ainda é um tema pouco explorado, rodeado de dúvidas e tabus. Uma das grandes questões entre as mulheres é sobre o famoso ponto G . Afinal, ele realmente existe? Onde fica? É verdade que o orgasmo é mais prazeroso nessa região? Para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e te ajudar a sentir mais prazer na hora do sexo, conversamos com uma especialista no assunto.

De acordo com a ginecologista e sexóloga Nelly Kobayashi, o ponto G existe e está localizado em uma área da parte da frente da vagina, onde há uma série de terminações nervosas – consequência do clitóris. “Se estimulada, a região, assim como o clitóris, pode gerar muito prazer e até levar ao orgasmo”, comenta.

A especialista explica que ele é assim chamado em homenagem ao médico Ernest Gräfenberg, que em 1950 descreveu a presença de uma zona erógena na parede anterior da vagina, ao longo do trajeto da uretra. Zonas erógenas são partes do corpo onde o prazer pode ser sentido de forma mais intensa. No geral, são regiões com a pele mais fina e mais terminações nervosas.

Talvez isso explique o “sucesso” do ponto. Muitas mulheres ficam curiosas para encontrá-lo e acreditam que só sentirão o verdadeiro prazer se atingirem o orgasmo através dali. No entanto, Nelly Kobayashi explica que na prática as coisas não funcionam bem assim. “O orgasmo do ponto G é diferente porque uma área diferente é estimulada, mas não significa que proporcionará um prazer mais intenso. Cada pessoa tem prazer de forma diferente e em lugares e intensidades diferentes”, fala.

sexóloga explica que existe uma infinidade de outros pontos também prazerosos na vagina e em todo o corpo. “Todos podem ser igualmente estimulados e levar ao orgasmo, criando uma infinita gama de prazer”, fala. Esses pontos não são específicos. Como a vulva e a vagina são muito irrigadas e enervadas, qualquer parte pode proporcionar prazer. “Por isso, a mulher deve se tocar e conhecer bem seu próprio corpo, procurando suas áreas de maior prazer, já que cada pessoa é diferente”, fala.

A sexóloga ainda faz um alerta: “Não é vantajoso criar uma obsessão pelo ponto. Quanto mais criativo o casal e quanto maior o repertório de prazer, maior a chance de estarem satisfeitos sexualmente”. Ou seja, o interessante é explorar o corpo com o parceiro e descobrir o que mais funciona para vocês.

Como estimular o Ponto G?
Já que a região é bastante prazerosa, vale apostar em técnicas para estimulá-la e garantir mais prazer, seja durante a relação sexual ou durante a masturbação. Nelly Kobayashi fala que quanto mais excitada a mulher está, mais fácil de localizar o ponto. “Quando se está excitada, a região fica mais sensível ao toque, sendo mais fácil identificar uma área que proporciona mais prazer”, diz.

Olhando para o corpo feminino de frente, o ponto G fica localizado na parede interna “da frente” da vagina. Por isso, é mais fácil estimular a região pela masturbação. A sexóloga sugere levar os dedos indicador e médio, unidos, no interior da vagina, cerca de 1 a 2 cm na parede da frente, em direção à bexiga, fazendo um movimento de “vem cá” enquanto acaricia levemente e aumenta a pressão conforme o gosto da mulher.

Para as mulheres que querem encontrar o ponto sozinhas durante a masturbação, é indicado o uso de um brinquedo sexual, como um vibrador com duas partes, uma que estimula o clitóris e outra mais curvada para o interior da parede vaginal. Assim fica mais fácil atingir a área de prazer. Além disso, a vibração proporcionada pelo brinquedo aumenta ainda mais prazer.

E não são só as mulheres que têm o tal ponto. De acordo com a sexóloga, há um ponto equivalente nos homens, o ponto P, localizado na próstata. A região também é considerada uma zona erógena e pode proporcionar muito prazer se estimulada através do ânus.

As melhores posições sexuais para alcançar o Ponto G
Além da masturbação, algumas posições sexuais podem ser estratégicas e facilitar para alcançar a região e atingir o orgasmo com a penetração. Segundo Nelly Kobayashi, o mais indicado são posições em que o quadril da mulher fica mais elevado, de modo que a cabeça do pênis possa tocar o ponto do prazer.

“Força G”
Essa é a posição mais propícia para atingir a área de sensibilidade, já que o homem consegue penetrar a mulher profundamente. A mulher deve ficar deitada e com os joelhos próximos do peito garantindo a posição adequada para a penetração.

“Borboleta”
Com o quadril elevado, essa posição permite atingir o ponto G com uma penetração profunda do pênis na vagina
Nessa posição a mulher fica deitada em uma superfície, como uma mesa, banco ou a própria cama, e eleva o quadril, prendendo as pernas no parceiro. O homem segura o corpo da mulher garantindo uma posição que facilita a penetração.

“Ela por cima”
Ficar por cima é uma das posições preferidas entre as mulheres, já que, dessa forma, conseguem controlar os movimentos. Assim, é mais fácil saber o que dá mais prazer e como manter os movimentos para isso. Além disso, o homem consegue penetrá-la profundamente.

“Na parede”
Nessa posição sexual a mulher fica em pé apoiada nas pernas do homem, que a sustenta apoiando as mãos na parede. Como a mulher consegue ficar com o quadril um pouco acima do homem, é possível atingir o p onto G durante a penetração.

Fonte: IG - https://delas.ig.com.br/amoresexo/2018-12-27/ponto-g.html

Recomendado para você pelo google

ELEIÇÕES 2020

VÍDEO: Paula revela quem ela e Zé Aldemir apoiarão nas eleições das cidades de Uiraúna e Santa Helena

EXPLICAÇÕES

VÍDEO: Governador diz que falta de legista no fim de semana no IPC de Cajazeiras está sendo resolvida

CARNE OU OVO?

VÍDEO: após o aumento do preço da carne, consumo de ovos dispara na cidade de Sousa

PSB RACHADO

VÍDEO: Jeová diz que não apoia Denise como candidata a prefeita: “Ela se colocou como minha adversária”