header top bar

section content

Sandy chora no fim de estreia de turnê com Junior no Nordeste

Irmãos subiram ao palco do Classic Hall, na noite de sexta-feira (12)

Por Quem

13/07/2019 às 10h59

Sandy e Junior fazem show no Recife (Foto: Felipe Souto Maior/Ed. Globo)

Sandy não conseguiu conter as lágrimas e foi vista visivelmente emocionada, na noite de sexta-feira (12), ao final da estreia da turnê Nossa História, que rolou no Classic Hall, em Pernambuco.

Ao fim da apresentação de cerca de duas horas, que marcou a reunião com o irmão, Junior, rolou até chuva de papel picado enquanto tocava a música Cai a Chuva. Com o público gritando “eu não vou embora!”, Sandy apareceu com os olhos marejados ao ver a emoção dos fãs.

Ao final, fãs cantaram em uníssono e a capela Quando Você Passa (Turu Turu), música que havia ficado de fora do setlist. Não demorou muito e eles voltaram ao palco, realizando o pedido do público com uma das músicas mais famosas deles.

Troca de roupa e até um vídeo depoimento dos dois no telão, de cerca de 2min30seg emocionou ainda mais os fãs que, em seguida, cantaram muito a próxima canção, Desperdiçou. Um dos momentos mais eufóricos foi, claro, quando Vâmo Pulá! literalmente tirou o público do chão, encerrando o show com chave de ouro!

NOSSA HISTÓRIA
“Neste hiato de quase doze anos, enquanto dupla, nossos fãs nunca deixaram de pedir ao menos um reencontro, mesmo sabendo de nossas escolhas artísticas individuais”, explica o multi-instrumentista Junior Lima, que assume a direção musical do projeto ao lado do músico e produtor Lucas Lima. “Nós sempre deixamos esta possibilidade no ar. Temos muito amor e orgulho pelo que construímos juntos. Acho que só estávamos esperando o momento em que estivéssemos prontos. A resposta só poderia sair de nós dois, ouvindo nossos corações e intuições, para que fosse uma entrega cheia de verdade”, pontua Sandy, que divide a direção artística com o irmão.

“Foi uma feliz coincidência, agora em 2019, completarmos trinta anos de nossa primeira apresentação na TV cantando ‘Maria Chiquinha’, no Som Brasil. Queremos nos divertir muito nestes três meses na estrada e proporcionar uma atmosfera afetiva para nossos fãs fieis que, em sua maioria, cresceram conosco. A gente tem total consciência de que hoje eles são adultos, curtem novas sonoridades. Mas acho que muitos devem se recordar do som que fazíamos na infância e adolescência com o mesmo carinho com que nós dois recordamos. E hoje as playlists podem proporcionar essas lembranças com muito mais facilidade. Já dá até pra ir entrando no clima, relembrando os ritmos, as letras”, brinca e diverte-se Junior Lima.

“Acho que o nosso maior desafio é saber quais músicas deixar de fora”, pondera o diretor musical, que pretende manter grande parte das releituras bem próximas às versões originais. “Queremos dar às pessoas um ‘show de Sandy e Junior’, relembrar e revisitar quem a gente era e dividir isso com uma galera que não pôde ver na época mas acompanhava a carreira, o programa etc.”, anima-se Sandy que já dá um spoiler sobre bailarinos ao palco, como nos tempos de Maracanã, Quatro Estações e turnês anteriores.

Raoni Carneiro foi a escolha para assinar a direção geral da turnê, que escalou um time altamente qualificado, coeso e de sua confiança para estruturar e dar forma a todo o conceito criativo que permeia esta grande festa. No time de criação fazem parte o diretor Celso Bernini, na cenografia Zé Carratu, light design de Carlinhos Nogueira e para o videografismo um time formado por Studio Curva, Gogacine e o diretor de arte Rafael Conde.

“O conceito de “Nossa História” é uma experiência atemporal, com um show vivo, latente, pulsante, repleto de amor e cuidado em cada passo, cada detalhe. Mas não estamos falando de um show vintage, apesar de ter uma matéria prima riquíssima adormecida há anos. O público e os artistas evoluíram, e o espetáculo vai acompanhar isso. Em paralelo, Sandy e Junior transcenderam ao tempo. Criaram e criam até hoje tantas memórias que passado e presente ainda se misturam. E esse projeto é apenas um encontro, que deve acontecer em um espaço mágico, com luz, led, signos, símbolos, marcas cênicas, ballet, banda. Tudo que proporcione aos fãs um momento único, com todos os elementos necessários para contar uma grande história”, afirma Carneiro.

Fonte: Quem - https://revistaquem.globo.com/sandy-e-junior/noticia/2019/07/sandy-se-emociona-ao-fim-de-estreia-de-turne-com-junior-em-pernambuco.html

Recomendado para você pelo google

CULTURA

Professoras da UFCG de Cajazeiras lançam livro sobre ‘Ética, Bioética e Controle Social da Ciência’

RELIGIÃO

VÍDEO: Festa de Nossa Senhora da Guia, padroeira de Patos é oficialmente lançada. Confira a programação!

SOLUÇÃO

VÍDEO: Continuando série sobre o lixão, Xeque Mate fala de ações para resolver problemática do lixão

VÍDEO

RESGATANDO VIDAS: Missionário revela exemplo de superação em Cajazeiras após libertação das drogas