header top bar

section content

VÍDEO: Cajazeirense que produz conteúdo sensual diz que foi agredida por vizinha de condomínio em SP

Ayarla Souza conta que uma vizinha teria reclamado que ela e outras jovens estariam de shorts curtos andando pelo condomínio e acusou elas de estarem se insinuando para os homens

Por Juliana Santos

19/04/2021 às 17h17 • atualizado em 19/04/2021 às 18h36

A jovem cajazeirense Ayarla Souza, que trabalha produzindo conteúdo sensual para a internet, diz que foi agredida por vizinhas em condomínio onde mora na cidade de São Paulo. A digital influencer já tem 1,19 milhão de seguidores no Instagram.

Ayarla gravou um vídeo relatando que uma vizinha teria reclamado que ela e outras jovens estariam de shorts curtos andando pelo condomínio e acusou elas de estarem se insinuando para os homens. Depois de algum tempo de discussão, a jovem teria sido agredida pela vizinha.

“Gravei vinte minutos da nossa conversa. Ela falou que mulher que veste short curto é puta e outras coisas, e que se ela pegasse o marido nos olhando, ela iria nos matar”, comentou.

Além do short curto, outro motivo da suposta agressão, de acordo com Ayarla, foi porque um homem teria visto ela e outras meninas trocando de roupa na varanda.

“Tinha um cara olhando a gente trocar de roupa, não sei se era o marido dela, pode ter sido isso que essa mulher criou um grupo de mensagens e fica nos denegrindo. Não faço mal a ninguém, apenas trabalho. Não sou puta por apenas usar short curto”, disse a moça.

Emocionada, a jovem diz que não entendeu as agressões sofridas e acredita que sofreu preconceito: “Ela dizia que eu era bonita e não precisava disso. Falou sobre um vídeo que eu dancei no meio da rua. Ela disse que aquilo era feio, e com muito preconceito”, lamentou.

VEJA TAMBÉM: Após grave acidente, sousense dá volta por cima e se torna influenciadora digital

A digital influencer já tem 1,19 milhões de seguidores no Instagram

Ayarla Souza disse que ainda tentou conversar com a mulher, mas como viu que a mesma continuou xingando e isso não iria resolver nada, ela foi para o primeiro andar da casa.

“Eu desci e assim que cheguei perto dela, ela começou a me agredir fisicamente eu fiquei arranhada no rosto. Ela e a filha dela me agrediram, puxaram meu cabelo. O segurança me segurou e elas continuaram a me bater”, disse.

SHOW DIÁRIO

OPINIÃO SOBRE CRIMINALIDADE

VÍDEO: Pré-candidato à presidência diz que governantes são coniventes com drogas e armas nas comunidades

COMPLICADO

VÍDEO: Vereador afirma que é difícil encontrar o prefeito de Itaporanga na cidade e faz denuncias

COMPLICADO

VÍDEO: Prefeito de cidade da região de Patos desconhece dados da pandemia da Covid-19 e sobre vacinação

LUTO

VÍDEO: Tio de Jeová, ex-vice-prefeito de Cachoeira morre aos 80 anos; políticos prestam homenagens

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!