header top bar

string(11) "show-diario"

section content

Estudo afirma que muita pornografia pode reduzir o prazer e a satisfação sexual

Estudo afirma que cérebro pode se “viciar” em dopamina

Por

18/08/2015 às 07h35

Muitos dos filmes pornográficos são comprados em bancas (Foto: Pedro Vilela/ O Tempo)

Ver pornografia demais pode ter o efeito contrário ao desejado. É o que concluiu um estudo publicado no ano passado na publicação “Jama Psychiatry”. A pesquisa revelou que o cérebro, ao ser constantemente estimulado por imagens de sexo, pode acabar perdendo um pouco de sua “sensibilidade” para a pornografia.

Na hora em que as imagens são visualizadas, o cérebro humano libera uma substância chamada dopamina, que é responsável pela sensação de prazer. Porém, a liberação constante dessa substância pode fazer com que os neurônios se tornem gradativamente insensíveis a seus efeitos, e o usuário precisaria de doses maiores de dopamina para sentir o mesmo prazer, comportamento semelhante ao que acontece com os usuários de drogas.

IG

Tags:
ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Diversidade em Foco com professor de Português destaca as variações da nossa língua

HERANÇA ARTÍSTICA

VÍDEO: Filho de grande nome da música brasileira agita a Festa do Brega no Cajazeiras Tênis Clube

EM JOÃO PESSOA

VÍDEO E FOTOS: Posse da nova diretoria da API é marcada por repentes, lançamento de livro e emoção

DUPLA CERIMÔNIA

VÍDEO: OAB lança em Cajazeiras as chapas para as eleições da Seccional Paraíba e da Subseção local