header top bar

section content

Cantora da MPB é processada por porte ilegal de arma de fogo

Maria Bethânia não tem permissão para portar ou transitar com o artefato.

Por

16/07/2015 às 15h40

Maria Bethânia é processada por porte ilegal de arma de fogo junto com seu segurança particular

A cantora Maria Bethânia e o segurança Adevan Barbosa Lourenço foram indiciados por porte ilegal de arma de fogo. A denúncia foi encaminhada pelo Ministério Público estadual à 31ª Vara Criminal do Rio, onde o processo tramita. “Após a apresentação da defesa, o MP se manifestará e o processo seguirá para designação de audiência ou poderá ser determinada a absolvição sumária da cantora, se comprovado que não foi ela quem emprestou a arma”, diz a nota do órgão.

No dia 5 de junho, dois policiais abordaram um homem durante patrulhamento habitual, pela manhã, na Estrada das Canoas, em São Conrado, em frente à casa de Bethânia. O vigia da artista portava revólver de calibre 38 sem registro, e foi preso em flagrante. Uma assessora levou a documentação da arma, em nome de Maria Bethânia, à delegacia (14ª DP, no Leblon), mas a cantora não tem permissão para portar ou transitar com o artefato.

Após o pagamento de uma fiança, Lourenço foi solto. Em depoimento, disse que só usava a arma durante o expediente, cumprindo o combinado com a patroa, para quem afirmou trabalhar há cinco anos. Caso sejam condenados, ambos podem responder por pena de dois a quatro anos de reclusão e multa, previstos pelo artigo 14° do Estatuto do Desarmamento (Lei 10826/03).

Veja

Tags:

Recomendado para você pelo google

PARAOLÍMPICOS

VÍDEO: Curso em Cajazeiras ajuda professores de Educação Física a trabalharem com alunos com deficiência

EMPRESA INVESTIGADA

VÍDEO: Após inquérito do MPPB, prefeito José Aldemir responde se ainda vai ter concurso em Cajazeiras

20ª EDIÇÃO DO EVENTO

VÍDEO: Com Felipão, Eduarda Brasil e muito mais, Cavalgada e Festa de Marimbas leva multidão a Cachoeira

DA CÂMARA AO INSS

VÍDEO: Grupo prepara manifestação pública nesta sexta, em Cajazeiras, contra a reforma da Previdência