header top bar

section content

Miss Universo 65 gasta 2 milhões em plástica e consegue ‘parar’ o tempo; Veja!

Segundo 'The Morning News', Apasra Hongsakula, de 67 anos, teria gasto o valor para continuar com a mesma aparência de quando tinha 18 anos.

Por

23/10/2014 às 08h22

Apasra Hongsakula se tornou a primeira Miss Universo da Tailândia em 1965, quando tinha apenas 18 anos de idade. De lá para cá, 49 anos depois, ela impressiona pela aparência jovial.

Ela voltou a ser assunto na Tailândia e no mundo depois que uma foto sua circulou na internet chocando os fãs por sua aparência, que em nada lembra uma senhora de 67 anos.

Nas páginas de Apasra em redes sociais, ela costuma usar fotos em que aparenta ter muito menos idade. O mesmo acontece com as imagens de anúncios do seu spa, estrelados por ela.

Segundo uma fonte do concurso, em entrevista ao ao programa "The Morning News", a Miss Universo 1965 teria gasto US$ 2 milhões em cirurgias plásticas e procedimentos de beleza para continuar jovem. O representante de Apasra Hongsakula a defendeu dizendo que ela fez apenas tratamentos de beleza  e que, além do tratamento de pele, envolveram alisamento de cabelo e muito uso de protetor solar.

Ele não mencionou se há ou não o uso de Photoshop nas imagens postada pela Miss, que é dona de uma rede de spas.

Aspara derrotou no ano de 1965 misses loiras como as da Holanda, Finlândia, Suécia e Estados Unidos, e foi a segunda Miss Universo asiática e a primeira de seu país. Sua beleza exótica e "porte de realeza" conquistaram os jurados e o público que acompanhou de perto o concurso.

EGO

Tags:

Recomendado para você pelo google

SESSÃO NA CÂMARA

VÍDEO: Em Cajazeiras, coordenador de Diversidade Religiosa na PB fala sobre diálogo e busca por respeito

ASSASSSINATO

VÍDEO! Delegado fala sobre o crime de homicídio que vitimou professor de karatê em Sousa

SEM POLÍTICAS PÚBLICAS

VÍDEO – Líder lamenta ‘desprezo’ dos governos e ‘extinção’ da cultura dos ciganos na cidade de Sousa

VÍDEO

SERTÃO: Empresário sugere vaquinha para “salvar” feira de negócios após prefeitura negar apoio