header top bar

section content

Estudos revelam que filmes de ação fazem o telespectador engordar; Veja!

Os pesquisadores não compararam as calorias consumidas em outros tipos de filme.

Por

16/09/2014 às 08h00

Se você anda sonhando com uns quilinhos a menos, evite filmes de ação. Ou pelo menos deixe as guloseimas bem longe do seu alcance durante a sessão de cinema. É que, no meio daquela sucessão de cenas rápidas, explosões, correria e etc você não se dá conta, mas come bem mais do que de costume.

Quem descobriu foi um pessoal da Universidade Cornell, nos Estados Unidos. Eles convidaram 94 alunos para participar da pesquisa.  Todos foram acomodados em frente a uma tevê, com porções de chocolate, bolacha, cenoura (?) e uva à disposição de cada um. Um terço deles viu um programa de entrevista do americano Charlie Rose, enquanto os outros assistiram a um trecho do filme A Ilha, com Scarlett Johansson e Ewan McGregor – só que metade deles viu o filme no mudo.

Quem mais devorou os doces foi o pessoal que viu o trecho do filme com som: um total de 354 kcal – quase o dobro do consumo de quem assistiu à entrevista. “Nós descobrimos que se você está comendo enquanto vê um filme de ação, sua boca também entrará mais em ação”, explica Aner Tal, um dos autores do estudo. “Em outras palavras, quanto mais o programa deixa você distraído, mais você irá comer”, conclui.

E mesmo quem só viu as imagens, sem o som do filme, comeu mais: um consumo médio de 314 kcal – 36% mais que os telespectadores de Charlie Rose.

Os pesquisadores não compararam as calorias consumidas em outros tipos de filme.

Super

Tags:

Recomendado para você pelo google

SESSÃO NA CÂMARA

VÍDEO: Em Cajazeiras, coordenador de Diversidade Religiosa na PB fala sobre diálogo e busca por respeito

ASSASSSINATO

VÍDEO! Delegado fala sobre o crime de homicídio que vitimou professor de karatê em Sousa

SEM POLÍTICAS PÚBLICAS

VÍDEO – Líder lamenta ‘desprezo’ dos governos e ‘extinção’ da cultura dos ciganos na cidade de Sousa

VÍDEO

SERTÃO: Empresário sugere vaquinha para “salvar” feira de negócios após prefeitura negar apoio