header top bar

section content

Cantor homossexual é acusado pelo seu ex-parceiro que conquistou na Justiça direitos sobre sua dupla

Ele foi o primeiro parceiro a cantar com Sorocaba sob esse nome artístico, entre 2005 e 2007.

Por

09/09/2014 às 08h00

O cantor Sorocaba, da dupla com Fernando, falou na noite do último domingo (7) ao Domingo Espetacular, da Rede Record, sobre a polêmica envolvendo seu ex-parceiro de dupla, Humberto Santiago. No dia 29 de agosto, Humberto conquistou na Justiça o reconhecimento como sendo o coautor do nome Fernando e Sorocaba. 

Ele foi o primeiro parceiro a cantar com Sorocaba sob esse nome artístico, entre 2005 e 2007.

Ao programa de TV, Sorocaba afirmou que a marca foi criada por ele e explicou que o nome é uma junção de seu apelido com seu nome verdadeiro, Fernando Fakri de Assis. “Ele [Humberto] entrou nesse projeto já com a marca criada, devidamente registrada”.

Segundo o sertanejo, Humberto brigou com o empresário da dupla, além de ter problemas com o alcoolismo. “Humberto era uma pessoa difícil”, afirmou Sorocaba. Em entrevista ao mesmo programa, Santiago afirmou que, na época que saiu da dupla, recebeu apenas 15 mil reais, sendo que os shows que faziam já rendiam bem mais que isso.

Sorocaba comentou ainda o fato do processo ter sido aberto no Amapá, sendo que Humberto tem residência no Paraná e Sorocaba, na capital paulista. Inicialmente, Humberto abriu o processo na Justiça de São Paulo, mas desistiu.

Humberto foi declarado coautor da marca pela Justiça de Macapá em 1ª instância e a decisão ainda cabe recurso. Atualmente, Sorocaba faz dupla com Fernando Zorzanello. Segundo a Rede Record, a dupla faz 200 shows por ano a um cachê de 300 mil reais.

O Fuxico

Tags:

Recomendado para você pelo google

ELITISMO?

VÍDEO: Escolas federais têm segurança, mas as outras são ‘destratadas’, afirma diretor em Cajazeiras

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo fala sobre o Festival de Prêmios do Atlético e do clássico contra o Sousa

MASSACRE DE SUZANO

VÍDEO: Psicóloga fala sobre jogos eletrônicos e ausência da família influenciando tragédias com jovens

O CAMINHO

VÍDEO: Em Pombal, Frei Gilson declara que a Igreja Católica precisa pregar um catolicismo praticante