header top bar

section content

Centurión volta à Argentina para se juntar ao Boca Juniors

Centurión volta à Argentina para fazer exames e se juntar ao Boca Juniors

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

23/07/2017 às 09h30 • atualizado em 22/07/2017 às 18h54

Centurión (Foto: Marcos Brindicci / Reuters)

Ricardo Centurión estava prestes a ser contratado pelo Genoa, da Itália, quando o Boca Juniors subiu a oferta e conseguiu convencer o meia-atacante. De acordo com o jornal “La Nación”, o jogador está na Argentina para realizar exames médicos e deverá ser confirmado nas próximas horas.

Os argentinos conseguiram atrasar a assinatura do atleta com o clube italiano e formalizaram uma proposta ao São Paulo. A informação foi publicada pelo “Diário Olé” .

Centurión já havia viajado para a Itália e até realizado exames médicos, mas a vontade de voltar a defender o clube de seu país se sobressaiu. O contrato com o Genoa seria assinado na tarde de sexta-feira (21), mas dirigentes do Boca pediram que o ato fosse adiado, pois apresentariam uma oferta ao São Paulo. Antes, os xeneizes prometiam apresentar 3,5 milhões de euros (R$ 12,7 milhões) pela parte tricolor do meia, mas nunca alcançaram o valor.

Incomodado, o clube brasileiro recebeu a proposta dos italianos e resolveu aceitar. O Boca, então, resolveu agir e também apresentou números estimados em 6 milhões de dólares (R$ 19 milhões). O São Paulo tem direito a 70%, (cerca de R$ 13,3 milhões) e a mais 10% sobre uma venda futura, enquanto o Racing, detentor dos outros 30% dos direitos econômicos, fica com R$ 5,7 milhões.

Notícias ao Minuto

Tags:
MUITO ESTRAGO

VÍDEOS: Chuva com vendaval causa destruição de prédios em Cajazeiras e Sousa e assusta moradores

DE 22 A 27 DE JANEIRO

VÍDEO: Teatro Ica completa 34 anos em Cajazeiras com extensa e diversificada programação cultural

DE 2017 PARA ESTE ANO

VÍDEO: São José de Piranhas tem aumento alarmante de homicídios em 2018; confira balanço da PM na região

VIXE!

VÍDEO: Vidente detalha futuro da imprensa de Cajazeiras e prevê mortes: “Não chega às festas juninas”