header top bar

section content

Campeão da São Silvestre 2018 passa mal após a corrida e é levado ao hospital

Belahy Bezabh sentiu dores no peito pouco antes da coletiva de imprensa e precisou ser levado para Santa Casa, onde passou por exames

Por IG

01/01/2019 às 10h10

Belahy Bezabh cruzou a linha de chegada da São Silvestre em primeiro (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

O etíope Belahy Bezabh, que venceu a Corrida Internacional de São Silvestre na manhã desta segunda-feira, em São Paulo, passou mal depois da prova, quando se encaminhava para coletiva de imprensa, e precisou ser encaminhado para o hospital.

Segundo informações da organização da prova, Bezabh passou mal por conta do cansaço excessivo, reclamou de dores no peito e chegou fazer um eletrocardiograma ainda na estrutura do evento montada na Avenida Paulista – os exames não revelaram qualquer problema mais sério no vencedor da São Silvestre .

Depois, o atleta foi levado à Santa Casa, onde acabou sendo reavaliado pelos médicos e ficou em observação, apenas por precaução.

O etíope Belahy Bezabh superou o compatriota Dawit Admasu na reta final e chegou na frente, conquistando o seu primeiro título – ele havia ficado na segunda colocação no ano passado. Campeão de 2017, Admasu buscava o tricampeonato e teve que se contentar com o segundo lugar no pódio.

O melhor brasileiro foi Giovani dos Santos, oitavo colocado. A última vez que um atleta do Brasil venceu a competição foi Marilson dos Santos, em 2010.

“Como sempre foi a mesma coisa. Determinação, garra e disciplina. Muita gente apoiando, mas o importante é acreditar e creio que o Brasil ficou na torcida. Quando eu subi a Avenida Paulista , era como se eu estivesse em primeiro lugar, por causa da torcida. Como diz o professor Muricy Ramalho, aqui é trabalho”, disse Giovani em entrevista à TV Gazeta.

Classificação masculina

Belahy Bezabh (Etiópia) – 45min03s
Dawit Admasu (Etiópia) – 45min06s
Amdework Walelegn (Etiópia) – 45min13s
Emmanuel Gisamoda (Tanzânia) – 45min23s
Maxwell Rotich (Uganda) – 45min45s
A grande vencedora na prova feminina foi a jovem queniana Sandrafelis Tuei, de 20 anos de idade, que ultrapassou a compatriora Pauline Kamulu nos metros finais da corrida, já no fim da subida da Brigadeiro – vale ressaltar que Kamulu liderou o percurso de ponta a ponta e perdeu gás no fim, ficando em segundo.

O pódio foi todo africano, dominado por Quênia e Etiópia. Jenifer Nascimento Silva terminou como a melhor brasileira, na oitava posição. A última brasileira que venceu a São Silvestre foi Lucélia Peres, em 2006.


(Queniana Sandrafelis Tuei venceu a prova feminina da São Silvestre de 2018
(Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

“Fico muito feliz. Vinha de uma temporada muito produtiva e com esforço consegui um resultado muito bom, melhor do que a última vez que participei. Aos poucos, a gente vai evoluindo, crescendo para sempre chegar lá na frente”, disse Jenifer à TV Gazeta.

Classificação feminina

Sandrafelis Tuei (Quênia) – 50min02s
Pauline Kamulu (Quênia) – 50min19s
Mestawut Truneh (Etiópia) – 52min45s
Esther Kakuri (Quênia) – 52min47s
Birthukan Alemu (Etiópia) – 53min06s

Na prova de cadeirantes da São Silvestre , o vencedor na categoria masculina foi Heitor Mariano dos Santos, cravando o tetracampeonato. Entre as mulheres, a grande campeã foi Vanessa Cristina de Souza, conquistando o bicampeonato.

Fonte: IG - https://esporte.ig.com.br/maisesportes/atletismo/2018-12-31/sao-silvestre-belahy-bezabh.html

OS CIRENEUS DO CAMINHO

VÍDEO: Programa Mensagem de Esperança reflete sobre imunização espiritual e como lidar com adversários

'MENSAGEM DE FÉ'

VÍDEO: Padre apresenta programa especial na TV sobre a tradicional Festa de Dom Bosco em Cajazeiras

'OPINIÃO DO CIDADÃO'

VÍDEO: Em Cajazeiras, presidente da OAB-PB diz ser contra posse de arma: “Índices de mortes aumentam”

PROPRIEDADES EMBARGADAS

VÍDEO: Impedidos de plantar, agricultores de Cajazeiras acusam IBAMA de excessos na aplicação de multas