header top bar

section content

Cruzeiro chega a 150 dias da última derrota, com troféu e classificação na Libertadores

Último revés da equipe de Mano Menezes foi em novembro, para o Flamengo, no Mineirão, pelo Brasileiro, em jogo que não valia nada para a Raposa. Rubro-negro brigava pelo título

Por Globo Esporte

24/04/2019 às 07h10

Cruzeiro conquistou o bicampeonato mineiro, no domingo, de forma invicta (Foto: Douglas Magno/BP Filmes)

Cinco meses, 150 dias ou 21 semanas. Este é o período da última vez que o torcedor cruzeirense viu o time perder uma partida. Foi no dia 25 de novembro do ano passado, pela 37ª e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, que a Raposa foi derrotada por 2 a 0, para o Flamengo, no Mineirão, em partida que não valia nada para a equipe mineira (que já havia conquistado o hexacampeonato da Copa do Brasil, ao bater o Corinthians na final), enquanto o time carioca ainda lutava pelo título brasileiro (em vão, já que o troféu ficou com o Palmeiras).

De lá para cá, a equipe de Mano Menezes esteve em campo 22 vezes em competições (1 pelo Campeonato Brasileiro do ano passado, 16 pelo Campeonato Mineiro e cinco pela Copa Libertadores deste ano). Foram 16 vitórias e seis empates, com 46 gols marcados e nove sofridos (saldo de 37 gols).

Depois do empate em 0 a 0 com o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador, no dia 2 de dezembro, pela última rodada do Brasileirão do ano passado, os jogadores saíram em férias e só retornaram para a pré-temporada no dia 4 de janeiro. A primeira partida de 2019 foi no dia 19 de janeiro, com vitória de 3 a 1 sobre o Guarani-MG, em Divinópolis, na estreia no Campeonato Mineiro. No período em que está invicto, o Cruzeiro tem uma campanha irretocável. O time conquistou o bicampeonato estadual e tem 100% de aproveitamento na Copa Libertadores da América.

– Nosso time está de parabéns, fazendo uma grande campanha, sem tomar gol ainda na competição. Que a gente possa continuar assim, para conquistar essa taça – disse o atacante Fred, artilheiro cruzeirense na Libertadores, com quatro gols.

Levantou troféu
No Mineiro, a Raposa fez a segunda melhor campanha na fase de classificação, com 25 pontos (três a menos que o rival Atlético-MG). Em 11 jogos disputados, foram sete vitórias e quatro empates, com 22 gols marcados e cinco sofridos. Nas quartas de final, o time passou fácil pelo Patrocinense, com goleada por 5 a 0, em jogo único, no Mineirão. Nas semifinais, foram duas vitórias sobre o América-MG: 3 a 2 no jogo de ida, no Independência, e 3 a 0 no duelo de volta, no Mineirão.

Diferentemente do ano passado, quando fez melhor campanha na fase de classificação e tinha a vantagem do empate na soma dos resultados dos dois jogos da final, contra o Atlético-MG, desta vez o time comandado por Mano Menezes tinha que inverter a vantagem do rival. E conseguiu isso no primeiro jogo, no Mineirão, com vitória de 2 a 1, e gols de Marquinhos Gabriel e Léo.

Na segunda partida, no Independência, precisando do empate para conquistar o título, a equipe cruzeirense saiu atrás no placar, mas buscou a igualdade no segundo tempo, com Fred, em cobrança de pênalti: 1 a 1, troféu nas mãos e festa em azul e branco.

Classificado, líder e 100%
Na Copa Libertadores, a Raposa tem 100% de aproveitamento, com cinco vitórias em cinco partidas. O time garantiu a classificação às oitavas de final na terceira rodada (após a vitória sobre o Emelec, por 1 a 0, no Equador, combinada com o triunfo do Deportivo Lara sobre o Huracán, um dia depois), e, no jogo seguinte, a liderança do Grupo B (ao golear o Huracán, por 4 a 0, no Mineirão). Até aqui, foram 10 gols marcados e nenhum gol sofrido.

O objetivo cruzeirense agora é terminar a fase de grupos com a melhor campanha entre os classificados, para ter a vantagem de decidir em casa os duelos da fase mata-mata, até as semifinais, desde que avance até lá (a final da Libertadores será em jogo único, em Santiago, no Chile).

– Imagino que a fase de grupos para alguém como nós, que já fomos bicampeões da Libertadores, tem uma obrigação e uma boa possibilidade. A obrigação é de classificar. Se não classifica, é um desastre, em termos de expectativa. E a possibilidade de você crescer a cada jogo, para estar preparado para os jogos de risco maior, de mata-mata, de 180 minutos, você saber se comportar em várias situações que esse jogos que estamos jogando agora vão nos preparar – disse o técnico Mano Menezes.

Fonte: Globo Esporte - https://globoesporte.globo.com/futebol/times/cruzeiro/noticia/cruzeiro-chega-a-150-dias-da-ultima-derrota-com-trofeu-e-classificacao-na-libertadores.ghtml

Recomendado para você pelo google

EVENTOS ATÉ DIA 06/12

VÍDEO: Prefeito de Monte Horebe anuncia pagamento de servidores e programação do aniversário da cidade

ESTELIONATO

VÍDEO: Após dois golpes em banco de Cajazeiras, advogado mostra como vítimas devem buscar seus direitos

FIQUE POR DENTRO

Radialista sousense fala das condenações de ex-prefeitos e visita da PF na casa de empresário no Sertão

6ª EDIÇÃO DO EVENTO

VÍDEO: Mesa Redonda da Faculdade Santa Maria discute direitos e diversidade humana; veja como participar