header top bar

section content

Eleições FPF: João Máximo usa frases duras para criticar MP e estadual 2014

Candidato foi o primeiro a participar da série de entrevistas que a Rede Paraíba de Comunicação inicia nesta terça-feira com os presidenciáveis no pleito do dia 12

Por

09/12/2014 às 10h35

João Máximo foi entrevistado no Globo Esporte (Foto: Larissa Keren)

 Rede Paraíba de Comunicação deu início nesta terça-feira a uma série de reportagens com os candidatos à presidência da Federação Paraibana de Futebol (FPF). De hoje até a próxima quinta-feira, os três presidenciáveis falam ao vivo no Bom Dia Paraíba sobre suas propostas para a entidade. Abrindo a série, João Máximo usou frases duras para criticar o Campeonato Paraibano de 2014, a interferência do Ministério Público na competição e a eleição contínua de Rosilene Gomes para o cargo durante os últimos 25 anos. Nesta quarta-feira, será a vez de Amadeu Rodrigues comparecer aos estúdios da TV Cabo Branco para a entrevista e, na quinta-feira, Coriolano Coutinho.

De acordo com João Máximo, sua administração à frente da FPF será voltada para os clubes.

Ele afirmou que já esteve na pele dos dirigentes paraibanos e sabe como foi difícil a vida dos times durante os últimos anos. O candidato disse também que acredita que pode vencer a eleição sem apoios políticos ou da ex-presidente Rosilene Gomes.

– Eu já fui dirigente e sei como era nossa vida quando íamos atrás de apoio na FPF. E normalmente nós recebíamos um "não". E é com essa intenção de mudar o futebol da Paraíba, com essa intenção de melhorar o futebol da Paraíba, com essa intenção de imprimir respeito aos dirigentes do futebol da Paraíba que eu sou candidato a presidente da Federação – disse João Máximo. 

O candidato fez ainda críticas à realização do Campeonato Paraibano deste ano. Para ele, o estadual de 2014 é para ser esquecido por conta da série de problemas que aconteceram. 

Ele aproveitou ainda e pediu bom senso ao Ministério Público com relação à competição.

– Esse campeonato de 2014 a gente deve esquecer. Eu acredito que a Federação tem que tomar as rédeas da situação, pois é ela que faz o campeonato e é nas suas mãos que ficam as definições sobre a competição. Eu acho que todos devem fazer a sua parte, os clubes deve fazer a sua parte, o Ministério Público tem que fazer a sua parte, no cumprimento do Estatuto do Torcedor, mas sem ninguém querer aparecer. A Polícia Militar também tem sua parcela de culpa sobre isso, porque não se concebe na Paraíba, jogos apenas com uma torcida. A gente sabe que o MP tem que cumprir o Estatuto do Torcedor, mas sem querer aparecer – criticou. 

João Máximo aproveitou o final da entrevista para convidar os clubes para participar das eleições para a presidência da FPF. O pleito vai acontecer nesta sexta-feira, dia 12 de dezembro, e pela primeira vez em 25 anos vai ter mais de uma chapa inscrita.

– Agradeço a todos que fazem a TV Cabo Branco por essa oportunidade. E gostaria de convidar os dirigentes dos clubes de futebol profissional, amador e as ligas, pois chegou a hora de você votar. Você vai votar em uma eleição tranquila, sem problema, sem interferência, sem briga. Então você aproveite essa oportunidade para mudar a história do futebol na Paraíba – finalizou João Máximo.

GE

Tags:
DIÁRIO ESPORTIVO

VÍDEO: Na TV, dirigentes do Atlético de Cajazeiras explicam contratações fechadas e outras que ‘melaram’

NOVAS CRÍTICAS

VÍDEO: Para líder católico de Cajazeiras, o Nordeste será “um recanto esquecido” por Bolsonaro

CLIMA DE EMOÇÃO

VÍDEO: Amigos e familiares destacam o legado de Dr. Toinho durante velório do advogado em Cajazeiras

ECONOMIA

VÍDEO: Com fila zerada, Bolsa Família injeta quase R$ 2 milhões por mês em Cajazeiras, diz coordenador