header top bar

section content

Enquete mostra grande insatisfação com o nível de arbitragem no Brasil

Em pesquisa, 90% dos votantes dizem que nível é ruim. Gaciba prefere termo "regular" e afirma que atual quadro tem muitos juízes inexperientes

Por

19/09/2014 às 08h22

A edição de quinta-feira do "Arena SporTV" debateu a arbitragem no futebol brasileiro e contou com a ajuda do público. Em enquete com mais de 5 mil votos, 90% dos participantes disseram considerar o nível dela "ruim". Outros 6% disseram achá-la "regular". Pouco mais de 3% apontaram para um nível "ótimo", enquanto menos de 1% consideraram "bom".

O nível "ruim", aliás, também foi apontado pelos comentaristas Caio Ribeiro e Oscar Ulisses, que disseram entender que a maior exposição dos erros na mídia causa a impressão de que os árbitros pioraram nos últimos anos.

– É melhor que há 20 anos, mas é ruim porque hoje está escancarada. A televisão mostra todos os detalhes que o juiz não alcança – analisou Oscar.

Comentarista de arbitragem e ex-árbitro da Fifa, Leonardo Gaciba votou na opção "regular". Mas apenas por achar que as pessoas que exercem a função fazem o melhor ao não serem profissionalizados.

– Só não voto no ruim por esse esforço que pessoas amadoras fazem para dirigir algo tão profissional. Eles são caras muito esforçados e pessoas honestas – disse, antes de explicar o que tem prejudicado o nível atual:

– Temos um problema sério de renovação neste ano. Dos 49 árbitros da Série A, 12 são estreantes, um número muito grande. A inexperiência da arbitragem é grande – apontou.

Globo Esporte

Tags:

Recomendado para você pelo google

QUE VENHA!

VÍDEO! Profeta da chuva revela a previsão para o inverno no Sertão da Paraíba: “Serão 9 meses de chuva”

POLÊMICA

VÍDEO: Vereador cobra a convocação do concurso de Cajazeiras: ‘Era de urgência e o prefeito não convoca’

VÍDEO

Deputado cajazeirense abre o jogo e revela com quem fica após o racha no PSB da Paraíba

EDUCAÇÃO

VÍDEO: Xeque Mate fala sobre tradicional colégio de Cajazeiras e recebe diretora, professoras e alunas