header top bar

section content

Senador Cássio cobra contratação dos habilitados no concurso da Polícia Militar na Paraíba

A primeira constatação feita pelo senador: o contingente da Polícia Militar da Paraíba reduziu seu efetivo em números absolutos.

Por

04/06/2015 às 23h27

O senador Cássio Cunha Lima utilizou o tempo da tribuna do Senado nesta quarta (03) para não apenas apresentar um diagnóstico da real situação da área de segurança no estado da Paraíba, mas também para apresentar opções de solução, e uma delas é a imediata contratação dos habilitados em concurso da Polícia Militar.
 
A primeira constatação feita pelo senador, como ele mesmo disse, é a mais óbvia de todas: o contingente da Polícia Militar da Paraíba reduziu seu efetivo em números absolutos.
 
Cássio lembrou que quando assumiu o governo, em 2003, a Paraíba tinha pouco mais de 7 mil policiais. E deixou o governo com um efetivo de 10.300. Hoje, a Paraíba tem 9 mil policiais apenas, ou seja, caiu o número de policiais militares e diminuiu o efetivo da Polícia Civil. Isso é óbvio que contribui, de forma direta, para essa situação crítica que estamos enfrentando.
 
Alternativas
Cássio cobrou que “o governador Ricardo Coutinho cumpra seu compromisso de campanha e convoque os 5 mil habilitados no concurso da Polícia Militar. Os 5 mil habilitados receberam o compromisso formal de serem convocados, e não o foram até agora” – afirmou, da tribuna do Senado.

Na manhã desta quarta-feira, o senador encaminhou ofício ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que, em reunião com o governador Ricardo Coutinho, discuta-se a possibilidade de a Força Nacional de Segurança ir à Paraíba “para socorrer, para ampliar o trabalho que é feito, com muito esforço e extrema dedicação, pela Polícia Militar”, ressaltou.
 
Cássio disse, em seu discurso, que essas duas primeiras providências seriam o primeiro passo de uma reação que está tardando e que não pode mais falhar: “convocar os habilitados do concurso da Polícia Militar – são 5 mil habilitados no concurso – para um contingente que, hoje, é menor do que há 5 anos, e uma reunião urgente do governador do Estado da Paraíba, Ricardo Coutinho, com o Sr. Ministro da Justiça, para que a Força Nacional seja levada à Paraíba para socorrer, para acudir a população daquele Estado, que está simplesmente entregue à própria sorte”, argumentou o senador.
 
Violência
Ele apresentou dados do ‘Mapa da Violência’, que comprovam o aumento desenfreado da criminalidade na Paraíba, mas ressaltou que os números são desnecessários face à realidade das pessoas nas ruas das cidades paraibanas.
 
Lembrou, também, alguns casos recentes de violência extrema, que abalaram o povo paraibano, como o caso do professor assassinado dentro de uma escola e o incêndio a vários ônibus em Campina Grande. Outra caso de grande repercussão no estado foi o assassinato frio do caixa de uma padaria em Cabedelo, cujo jovem, filho do proprietário, foi barbaramente executado, mesmo sem esboçar qualquer reação contra o bandido.
 
Nesta semana, lembrou o senador paraibano, uma escola estadual foi invadida por marginais que renderam todos os alunos e professores e roubaram vários pertences, da escola e dos alunos, causando um verdadeiro pânico em toda a sociedade paraibana.

ASCOM

Tags:
DÍVIDAS ALTAS

EXCLUSIVO: Juiz se pronuncia sobre processo trabalhista que pode tirar Atlético do Campeonato Paraibano

FUTEBOL

VÍDEO: Diário Esportivo traz resumo da 2ª rodada do Paraibano e detalhes da nova contratação do Atlético

COM CHICO CARDOSO

VÍDEO: ‘Briga’ entre Zé Aldemir e Airton, e Tyrone com os Gadelhas são os destaques do Direto ao Ponto

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Advogadas tiram dúvidas sobre Previdência Social e criticam atendimento no INSS de Cajazeiras